quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

**COMO ESQUECER UM AMOR...


Por vezes sentimos uma necessidade muito forte de esquecer alguém a quem muito amamos.
As razões para uma separação de nosso amor são muitas. A mais dolorida é sem duvida, a perda total, quando o Amigão chama para sua companhia. Essa perda é fatal e irreparável, mas por mais paradoxal que pareça, é a mais fácil de ser “esquecida”. Basta que saibamos nos apoiar na lembrança dos momentos agradáveis que a seu lado vivemos.
Existem diversas outras causas que podem provocar separações. Uma viagem inadiável. Uma partida repentina por sabe-se lá qual motivo. Uma briga. E até mesmo a mais comum de todas as causas de uma separação, qual seja, um rompimento, que poderá ser definitivo ou não, dependendo da gravidade do que motivou essa separação.
E nesse instante, surge a necessidade de esquecer aquele alguém que foi durante algum tempo a razão de nossa vida. Como faze-lo? Existirá alguma fórmula mágica para conseguir esse esquecimento?
Vejam o que nos diz nosso guru, sábio da montanha, o célebre L’Inconnu sobre o assunto:
“Nunca diga que esquecestes um amor diga apenas que consegues falar nele sem chorar, pois o amor é e sempre será simplesmente inesquecível"
Há que considerar que esta assertiva está prenhe de razão, e o mais importante é adquirir consciência de que realmente é impossível esquecer a quem um dia foi nosso amor, a razão de nossos dias. Mas é necessário consegui-lo, para que possamos seguir vivendo.
E agora, José? Esquecer ou não esquecer, eis a questão...Existem diversas técnicas para tentar consegui-lo, mas na realidade nenhuma delas funciona efetivamente. O mais aconselhável é procurar um novo amor. Contudo, amor não se procura, ele nos encontra sem que saibamos quando nem porque. O importante é nos mantermos abertos para essa possibilidade. Não é porque um alguém nos fez sofrer, que assim será com todos. Assim, não deveremos nos fechar para a possibilidade de um novo amor, com medo de sofrer nova frustração, que poderá acontecer, é claro. Mas são coisas da vida e do destino. Não é aconselhável fechar o coração para balanço. Além do que, se o fecharmos, será muito mais difícil conseguir o almejado esquecimento.
Considerando que é interessante que se consiga falar do amor perdido sem chorar, parece lógico que a melhor maneira de faze-lo, será não lamentando jamais o tempo que se perdeu a seu lado, pois pelo menos durante algum tempo houve felicidade, houve essa agradável sensação de bem estar que o amor produz. Então, por que lamentar um período que foi agradável, que deu momentos de grande prazer? De repente nuvens toldaram essa felicidade que parecia eterna, e ficamos sós. Deve-se apenas lembrar do que houve de bom, e procurar saber o que pode ter motivado um eventual rompimento, para evitar incorrer no mesmo erro no futuro.
Não se deve tentar varrer a pessoa amada da memória, pois será praticamente impossível consegui-lo. Vamos suavizar as lembranças, para que nos lembremos e consigamos falar sem chorar, sem mágoas ou ressentimentos. Se algo terminou, é porque algo foi vivido e teve episódios felizes. Então a dor e o ressentimento só vão dificultar o esquecimento.
Suavizar lembranças é uma coisa, varre-las da mente é outra.
É melhor lembrar bons momentos vividos, porque vai servir para amenizar a dor da separação.
Diz um velho ditado: “Se não podemos combater um inimigo, aliemo-nos a ele”. Assim deve ser para “esquecer aquele amor”. Se for impossível o esquecimento total, puro e simples, vamos manter um nível de amizade e respeito pela pessoa que um dia foi nosso amor, e procurar encontrar a felicidade de outra maneira, sem a sua companhia, mas sem transformar o fim do amor em motivo para inimizade (...)
Pensando assim com toda a certeza será muito mais fácil ter UM LINDO DIA.
Marcial Salaverry

**************************************************
Ci>> De todas as tentativas que fazemos na vida, essa será a mais difícil: a de reconhecer que perdemos e procurar esquecer alguém a quem se quer muito... já disse a música que "no se puede olvidar lo que se ha querido...". Mas não há outra forma de recomeçar se não enxergarmos o que está claro bem diante dos nossos olhos, a realidade que nos rodeia e que rejeitamos... a de que não somos os responsaveis pela respiração ofegante, pelo sofrimento de amor de alguém, que aquela música não fez com que o outro lembrasse de você, mas de outro amor, na verdade é dele (a) com outro coraçonzito (não o seu!)... e quando finalmente conseguimos enxergar isso, depois de muitas dúvidas, de muitos anseios (afinal desejamos ser a peça que completa o outro por um tempo), é preciso parar... Respirar fundo e recomeçar... zerar os anseios, mudar a regra do jogo, abrir o coração para novas experiências, deixar de ouvir as musicas que nos transportam aos bons momentos vividos juntos...aos momentos que não foram vividos, mas que foram sonhados juntos... é hora de olhar prá dentro, fechar as janelas da alma, e no próprio escuro ajustar os ponteiros, adaptar-se ao novo, e seguir em frente... Viver no passado é não dar oportunidade ao futuro que sempre nos traz novas cores, novas luzes... O Outro é importante, foi importante, não será esquecido nunca... ficou tatuado em nós... mas NÃO DEVEMOS RESPONSABILIZA-LO pela nossa felicidade, nunca (eu aprendi isso!!!).
Eu já tentei esquecer muitas vezes, feito regime, que começamos todas as segundas, mas paramos na terça e nos prometemos recomeçar na segunda-feira seguinte... mas quando algo se quebra dentro de nós, quando realmente percebemos que não somos a ilusão de outrem, não somos nós quem o (a) faz sonhar, não temos mais força para continuar... aí só resta esperar que a dor no peito, essa sensação de fogo ardendo o corpo todo passe, e um novo alguém preencha o vazio que vai ficar dentro... naquela caixinha azul!

4 comentários:

  1. Passando para dar um Oi e deixar um bj.

    ResponderExcluir
  2. entrei em seu blog, realmente em busca de um alivio para os meus anseios, e estou simplismente encantada, continuarei lendo suas lindas mensagens e começarei a por em pratica a linda msg que me serviu de espiração para o noite de hoje. obrigada!!!!

    ResponderExcluir
  3. obrigada por aceitar meu comentario, porem se voce poder me dar uns conselhos, ou dicas sobre esse meu grande amor, te agradeço.
    Eu o amo dimais e sinto que ele tambem me ama, porem nós brigamos muito, nao conseguimos ter paz, é ciume, fofocas, intrigas, um iferno, vivo a tempo de enlouquecer.me responda o que voce acha disso? o que devo fazer? bjs denise.

    ResponderExcluir
  4. Não consigo esquecer se houver continuidade da amizade. Falo de amor corpo e alma, doação. A opção esta sendo minha por diversas razões. Prefiro esperar por outro que me faça esquecer. Creio também que este espaço possa haver manifestações masculinas. De qualquer forma, gosto das matérias.

    ResponderExcluir