terça-feira, 17 de março de 2009

Uhuuuuu, eu tenho explicação!!!


O SOL EM PEIXES (O PISCIANO)

Principal Característica: a sensibilidade

Qualidade: a doação

Defeito: tendência a fuga

Dois peixes entrelaçados formam o signo de Peixes. É um símbolo misterioso, que merece ser estudado mais a fundo. Cada peixe está voltado para uma direção, e isso nos fala algo sobre a natureza dual desse signo. Um lado de Peixes está no mundo da imaginação, das percepções, da criatividade, da espiritualidade. O outro lado de Peixes está na mundo real. A dualidade de Peixes é que ele não pode estar apenas em um desses mundos. Quando ele fica apenas em um mundo, ele se desequilibra. Se um pisciano perde seu contato com o lado místico e espiritual é como se ele perdesse o centro da sua vitalidade. Ele se torna a imagem da desilusão. Porém, ele não pode renunciar ao mundo real, pois é do mundo real que depende a sua sobrevivência e de onde vem sua razão.
Sua habilidade de estar entre dois mundo é, a um tempo só, dilacerante e maravilhosa. Ainda tomando o simbolismo dos dois peixes, imagine que um seja de água doce e o outro de água salgada. Na confluência das águas, um peixe de água doce pode ir para a salgada e vice versa. Mas não por muito tempo, pois acaba voltando para o seu habitat. Igualmente, o pisciano transita entre dois mundos, sem no entanto poder permanecer por muito tempo em cada um. Ele busca a inspiração no Céu e retorna a Terra. Se fica só na Terra, sente falta do Céu, seu lugar de inspiração. Mas se fica só no Céu, nada pode fazer na Terra.
Tal situação, potencialmente tão singular, faz com que muitos piscianos demorem muito para se encontrar, e muitos nem se encontram. Esse é o signo da iluminação, da doação ao próximo, mas também é o signo da confusão e da energia desperdiçada.
Ainda trabalhando com o simbolismo do peixe, este é um animal silencioso, que vive em um mundo fluido e só sobrevive nele. Igualmente, Peixes é conhecido por sua adaptabilidade. Em essência, ele mais reage do que age. Isso não significa que não existam piscianos ativos. Obviamente que há muitos piscianos ativos, mas o que está se falando é de sua personalidade. Peixes reflete a personalidade dos outros onze signos. Ele é a soma de todos, e ao mesmo tempo não é parecido com nenhum. O pisciano é capaz de ter várias pessoas dentro de si. Ele é múltiplo e adaptável por natureza. Nada é muito rígido em seu ego.
Como se formou a personalidade do pisciano? Como todo signo da Água, a influência da mãe é mais forte sobre a vida do pisciano. Isso não significa que ele goste mais dela do que o pai, apenas que a influência dela é que moldou sua personalidade. De alguma forma, sua mãe lhe parece um tanto quanto sofredora. Ela tem muitas apreensões, medos e preocupações. O mundo lhe parece ameaçador de alguma forma. Ela também talvez faça um sacrifício por algo ou ao menos aparenta ser um sacrifício. Porém, essa é uma 'linguagem silenciosa'. Os medos de sua mãe estão sempre presentes e são reais, mas o que fica claro é que ela não lida racionalmente com eles, e sim de forma emocional. O pisciano capta esse humor da mãe ao mesmo tempo em que desenvolve uma sensibilidade que quase permite sentir o mesmo que a mãe sente. Se ela sofre por algum motivo, ele também sofre.
Deriva disso o fato de o pisciano ter a tendência a absorver as correntes de todos os ambientes em que fica. Como um camaleão, ele sempre está como o ambiente está. Ele tem dificuldade em separar o seu 'eu' do ambiente. Voltando ao simbolismo do animal que representa esse signo, igualmente o peixe é altamente vulnerável ao meio em que vive. Quando algo envenena a água, muitos peixes morrem. Porém, quando algo envenena o ar (e certamente a poluição o faz) os animais aeróbios tem mais resistência. Peixe e água são a mesma coisa, e a água, muito mais do que a terra, é um mundo sem fronteiras. Observe que a terra tem obstáculos, montanhas, desertos, enquanto a movimentação na água é um continuar sem barreiras. E para se movimentar na água, não é necessário ater-se ao chão.
Assim, o pisciano não só se mistura a tudo, tendo uma sensibilidade altamente desenvolvida, como também tem dificuldade em colocar os pés no chão. Um lado seu está preso ao sonho, a poesia, a criatividade. Por mais que queira, o pisciano nunca vai enxergar o mundo com frieza. Ele sempre reagirá emocionalmente a esse mundo, seja com tristeza, saudade, alegria ou sofrimento. Ele simplesmente não consegue controlar essa torrente de sentimentos que o invade. É a Água e ele está cercado dela.
Quais são os defeitos de Peixes? Talvez o mais forte deles seja a tendência a fuga. A mãe do pisciano nunca conseguiu solucionar seu dilema, de forma que ou sofria com sua hipersensibilidade ao ambiente ou 'esquecia' desse sentimento, desviando-se dele. Também o animal peixe é extremamente móvel e jamais ficaria empacado diante de um obstáculo. Ele simplesmente muda de rumo.
Isso revela flexibilidade, porém, mal utilizado, pode gerar tendência a fuga. Nenhum signo é capaz de sofrer tanto quanto Peixes, e por isso às vezes ele prefere fugir. Muitos piscianos, quando verdadeiramente confrontados, não gostam de fazer uma escolha. Seu 'eu' não foi feito para pontos finais, e as reticências, que parecem borbulhas na água, são muito mais adequadas para ele. Diante de problemas, muitos piscianos preferem evitar a dor. O signo mais sensível do zodíaco também pode ser insensível, quando finge que a dor não existe. Você conhecerá tanto piscianos empáticos para com o sofrimento dos outros como aqueles que parecem não ter uma palavra a dizer. Como foi dito, os piscianos vivem em dois mundos, sempre. Se forem empáticos demais, podem facilmente deixar de viver sua vida. Porém, isso teria de se afigurar como uma escolha consciente, isto é, o fato de doar-se porque quer, baseado em uma filosofia e em uma compreensão ampla e profunda do que significa a vida na Terra (lembre-se que Peixes é o signo que pode buscar inspiração no Céu). Porém, mal utilizado, isto é, sem consciência, o fato de dedicar-se tanto aos outros e viver a vida deles pode gerar ressentimentos e auto-destruição para o pisciano. Ele tanto é capaz de ser suave e desprendido, mas também pode ter um grande rancor dentro de si pelos sacrifícios que faz.
O segundo tipo, aquele que 'parece não ligar', evidentemente, sofre menos, mas também está alienado de sua verdadeira natureza. Na verdade, a maioria dos piscianos oscila entre os dois tipos. Em um momento são sensíveis e desprendidos, e no outro parece que estão confinados em seu próprio mundo, bem longe do mundo dos outros. É surpreendente que um signo possa ser excepcionalmente generoso e também manifestar uma indiferença tão desconcertante. Talvez, nos seus momentos de indiferença e isolamento em si mesmo, eles possam estar se recuperando da doação excessiva.
O que difere o pisciano involuído - que se vicia em algo ou tem uma vida caótica, como se estivesse esperando que alguém o salvasse, ou que 'salva' as pessoas mas tem um grande ressentimento por ter feito isso - do tipo evoluído é a consciência. Mais do que qualquer outro signo, Peixes precisa compreender porque está aqui e o que veio fazer. O tipo evoluído é tão dual quanto o outro, mas a diferença é que tudo o que faz é feito com consciência, com um propósito. Assim, ele pode ajudar desprendidamente, e quando se isola em seu mundo não é como reação rancorosa porque outras pessoas não reconheceram o que ele fez, e sim, porque sua energia realmente precisa ser refeita no silêncio.
A maioria dos piscianos está a meio termo entre os dois tipos. São capazes de demonstrar empatia e sensibilidade, mas por vezes se mostram confusos e vão para um mundo onde ninguém consegue alcançá-los. Oscilam emocionalmente, não de forma diária, como Câncer, mas por períodos. Estão alegres, tristes, serenos ou agitados e por seus rostos passam uma gama de emoções. Ajudam algumas pessoas com desprendimento, mas muitas vezes não podem ser ajudados. Principalmente quando querem se decidir pelo Céu e sonhar em ficar lá, ao invés de voltar a Terra. Nesse grupo você encontra aqueles que se apaixonam perdidamente pela pessoa errada ou que não suportam a vida cotidiana, cheia de limitações e barreiras (imagine sendo um peixe, que vivia em um mundo fluido e sem obstáculos, tendo que se adaptar a rusticidade da terra). Acreditam que a realidade destrói os seus sonhos e sofrem com sua dualidade inerente.
Como já foi dito, quando um pisciano sofre demais ele pode recorrer a fuga, e algumas dessas fugas podem ser: fingir que o problema não existe, prolongar o problema indefinidamente, acreditar em algo mesmo sabendo interiormente que não é verdade ou usar algum 'anestésico'. Qualquer anestésico. Pode ser a bebida, as drogas, o sono excessivo, festas, a falsa alegria, não importa, são coisas que o 'desligam' daquilo que ele está sentindo. Haveria diferença se usassem isso uma vez e com critério, mas a verdade é que na maioria das vezes quando um pisciano utiliza um 'anestésico' ele o faz sem critério algum. Poucos tem disciplina, porque para ter disciplina é necessário desenvolver a consciência, e uma vez que se faz isso, surgem responsabilidades, o pisciano invariavelmente acaba sentindo que tem uma missão em vida e precisa cumpri-la.
Peixes é o último signo do zodíaco e o mais misterioso. Seu mundo é amplo, sutil e complexo. A missão de todo pisciano é evoluir. Talvez seja a missão mais difícil de todo o zodíaco. Peixes é o signo que precisa crer que há um Céu (pois ele mesmo o pressente), mas aplicar seus conhecimentos na Terra. Ele é a ponte entre os dois mundos e o desenvolvimento de sua personalidade passará por tarefas difíceis, como estar unido ao mundo e ao mesmo tempo ter sua personalidade e fazer algo pelas pessoas, sem no entanto 'sacrificar' algo dentro de si, ter empatia mas não deixar-se influenciar por ela. São muitas tarefas e cada pisciano terá sua própria maneira de resolvê-las ao longo de sua vida.


**********************************
Ci>> ahhh tá, entendi!!! entenderam??? rs

Nenhum comentário:

Postar um comentário