domingo, 3 de maio de 2009

Somewhere on time

"- O homem do meus sonhos quase desapareceu há pouco...

- E quem é este homem, senhorita?
- Aquele que minha imaginação criou. O tipo de homem que toda mulher sonha nos lugares mais secretos de seu coração... Quase consigo vê-lo agora em minha frente. O que eu diria a ele se ele estivesse realmente aqui? 'Me perdoe...nunca senti essa emoção. Vivi sem ela toda a minha vida. Ficará surpreso se por ventura eu não o reconhecer. Você me fez sentir isso pela 1a vez. Existe alguma forma de lhe dizer como a minha vida mudou? De alguma forma deixar você saber que me deu tanta doçura? Há tanta coisa para ser dita... e não consigo encontrar palavras, exceto estas: Eu te amo! É O QUE EU DIRIA A ELE! Se ele realmente estivesse aqui... (Elise Mckenna no filme "Em algum lugar do passado")
************************************************
Ci>> 'é o que eu diria a ele!' Diria! Diria? Diria... mas como é dificil dizer o que sentimos... escrever é tão mais facil. Creio que ver quem amamos entrelaçar-se em outras histórias, e nada poder fazer, ainda que saibamos que os fins justificam os meios, principalmente não poder dizer um 'eu te amo', por ter que aguardar seu tempo certo para que tudo seja dito, é uma dor pela qual nada possamos fazer para não senti-la, não há remédio, não há tratamento, exceto doses cavalares de paciencia e oração... dons, sensações e sentidos, que mostram qual o final da história, mas não nos permitem interferir no livre arbítrio alheio. "O amor tem suas razões, que a lógica não compreende, como o destino tem as suas ironias, que a razão não explica." Nada podemos fazer, senão lutar todos os dias para que possamos entender os sinais do destino...

Nenhum comentário:

Postar um comentário