sexta-feira, 26 de junho de 2009

Assunto: "Sempre temos alguma coisa a dizer sobre o..."

...maior paradoxo do amor:
A união de dois seres, contudo separados.
Para que isso seja atingido; devemos respeitar o ser como tal e reconhecer sua individualidade.
Nisso fundamenta-se a cumplicidade.
Hengel afirma:
"Amar é estender o seu corpo em direção a um outro corpo;mas é também, mais fundamentalmente, exigir que esse corpo, que ele deseja, também se estenda; é desejar o desejo do outro"
Essa é a base da cumplicidade.
"Encontro pela vida milhões de corpos; desses milhões posso desejar centenas, amo apenas um. O outro pelo qual estou apaixonado me designa a especialidade do meu desejo"
"Roland Barthes"
Cabe aqui a decupagem literária contida em "Fragmentos de um discurso amoroso":
Adorável é o vestígio fútil de um cansaço, que é o cansaço da linguagem.
De palavra em palavra me esforço para dizer de outro modo o mesmo da minha Imagem, impropriamente o próprio do meu desejo: viagem ao término da qual minha última filosofia só pode reconhecer - e praticar - a tautologia.
É adorável o que é adorável. Ou ainda: adoro você porque você é adorável, te amo porque te amo. Assim, o que fecha a linguagem amorosa é aquilo mesmo que a instituiu:
"A fascinação."
Pois descrever a fascinação não pode nunca, no fim das contas, ultrapassar este enunciado:
"estou fascinado."
Ao atingir a extremidade da linguagem, lá onde ela não pode senão repetir sua última palavra, como um disco arranhado, me embriago de sua afirmação:
"A tautologia não é esse estado inusitado, onde se acham misturados todos os valores, o fim glorioso da operação lógica, o obsceno da tolice e a explosão do sim nietzschiano?"
"Estou apaixonado? - Sim pois espero."
O outro não espera nunca.
Ás vezes quero representar aquele que não espera;tento me ocupar em outro lugar, chegar atrasado; mas nesse jogo perco sempre:
"O que quer que eu faça, acabo sempre sem ter o que fazer, pontual, até mesmo adiantado."
A identidade fatal do enamorado não é outra senão:
"Sou aquele que espera"
Dizem-me: esse gênero de amor não é viável. Mas como avaliar a viabilidade? Por que o que é viável é um bem? Por que durar é melhor que inflamar?
"Roland Barthes"
O exercício da posse; deturpou a palavra ciúme, que deveria significar zelo (para com outrem) e preocupação (para consigo).Discordo de quem atribui esta transformação ao desenvolvimento da sociedade comercial centrada no valor de ter.Sua origem é mais longínqua e esta relacionada com o poder.
Goethe, afirma:
"Como ciumento sofro quatro vezes: porque sou ciumento, porque me reprovo de sê-lo, porque temo que meu ciúme machuque o outro, porque me deixo dominar por uma banalidade: sofro por ser excluído, por ser agressivo, por ser louco e por ser comum."
A definição de Litté é conclusiva:
"O ciúme é medo que a gente sente, de que a pessoa amada{por nosso incompetência} se apaixone por outrem"
Em meu imaginário crio as situações de acordo com minha necessidade, no outro ser tento a realização da fantasia que é a busca da felicidade.
Tornando-se assim, ora Adônis, ora Quasimodo, um Baco a procura de Ariane. Por vezes estive próximo de concretizar este objetivo (transformar o sonho em realidade), sem que houvesse culpados (todos de forma certa, o somos), tais fins nunca concretizavam.
Para aplacar esta desilusão fomos dotados dá capacidade de sonhar e é isso que alimenta,
Pois:
"SE QUERES QUE EU SONHE"
Tu queres que eu sonhe!
que ao menos dormindo
Conheça alegrias, desfrute prazeres,
Que nunca provei;
Que ao menos nas asas de um sonho mentido, Perdido
arroubado, também diga amei!
Tu queres que eu sonhe!
não sabes que a vida
Me corre penosa, que amarga pôr vezes
A própria ilusão!
No pálido riso de uma alma afligida,
Que na vida ser lenda,
que dores não vão!
Se o pranto, que os olhos cansados inflama,
Nos Olhos de estranhos simpático brilha,
Mais agro penar.
Do triste o sorriso nos peitos derrama,
Se a chama revela, que almeja ocultar.
Sonhando , percebo na mente agitada
Um mar sem limites, areias fundidas
Aos raios de sol;
E um marco não vejo perdido na estrada
Cansada, não vejo longínquo farol!
E queres que eu sonhe!
Nas águas revoltas
O nauta, ludíbrio de horrenda procela,
Se pode dormir,
As vagas cruzadas, em sustos envoltas,
Ás soltas escuta raivosas bramir.
Talvez porém sonha que as ondas mendaces
O levam domadas à terra querida,
Que entrou em seus lares!.....
E triste desperta que os ventos fugaces
Nas faces a espuma lhe atiram dos mares.
Se queres que eu sonhe que alguma alegria
Dormindo conheça, que frua prazeres
De um plácido amor;
Vem tu como estrela da noite sombria,
Que enfia seus raios das selvas no horror,
Brilhar nos meus sonhos
Então sossegado,
Cismando prazeres, que na alma se entranham,
De um riso dos teus.
Coberto o meu rosto, fugira o meu fado
Quebrado aos encantos de um anjo dos céus.
Vem junto ao meu leito, quando eu for dormido
Que eu sinta os perfume que exalas passando;
Não sofro - direis:
E ao menos nas asas de um sonho mentido, Perdido
arroubado, talvez diga: amei
"Gonçalves Dias"

Fecho!
CãRiùá TaTaRaNa
*******************************************
Ci>> tenho pelo menos um livro para escrever sobre o assunto acima... mas como não acabei o mesmo, permaneço em silêncio... no entanto, devo ressaltar: que beleza de poema, que bela forma de abrir os sentimentos entre os que te lêem... amigo, você é divinamente sábio! Parabéns mais uma vez, me sinto até um tanto exposta quando publico um texto teu, de tamanha afinidade com o que vc traz! Um grande abraço!

Explicação

"O pensamento é triste; o amor, insuficiente; e eu quero sempre mais do que vem nos milagres. Deixo que a terra me sustente: guardo o resto para mais tarde.

Deus não fala comigo – e eu sei que me conhece. A antigos ventos dei as lágrimas que tinha.
A estrela sobe, a estrela desce… - espero a minha própria vinda.
(Navego pela memória sem margens. Alguém conta a minha história, E alguém mata os personagens.) "

Cecilia Meireles

*************************************************

Ci>> 'Existiu, e dói a ponto de não caber mais no peito, então deixo sair. Quisera guarda-lo ainda neste mesmo peito, mas é grande demais para prender. Se soltar, sei que volta, afinal, mora aqui. Se prender voa, porque não se prende o que não tem limites, e quando solto o medo faz não voltar mais. Então só resta esperar... Existe uma infinidade de 'mims' por aí, vivendo os momentos da vida, e trazendo a vida mais perto, mas nenhum é tão profundo quanto o que me conecta a ele!' (autor desconhecido)

Não estou desistindo, poesia...


Não... Não estou desistindo, poesia...

Estou apenas deixando de sonhar,

De fantasiar... E receber ninharia...

Um dia... Se tem que acordar...

Abandonar a tola e infantil esperança,

Que tudo é belo e todo sentir singelo.

Retomar a árdua e tão cruel andança,

Esmagar no coração o doce anelo...

Não estou desistindo, minha poesia,

Minha fiel e eterna companheira...

Estou extirpando a minha anomalia

De acreditar no afeto a vida inteira!

Não, minha poesia, não estou desistindo.

Estou convalescendo da enfermidade...

Que me fez paralítica... Cega e surda...

A todos os gritos da senhora verdade!

Despertando do sonho de uma vida...

Espantando os fantasmas do porão,

Pedindo à paz que me dê guarida...

Cicatrizando as dores do meu coração.

Não... Não estou desistindo, poesia...

Jamais relegarei tua presença bendita.

Farei versos e rimas cheios de magia,

Até que minha existência seja extinta!

Não... Não estou desistindo, poesia!

Desistir de ti... Seria desistir de mim!

Uma desleal, imbecil e brutal covardia!

Seguiremos em frente... Até o meu fim!
(Autor )

*******************************

Ci>> ...pq hoje é um novo dia! diferente de ontém e diferente de amanhã... prá que viver ontém e viver amanhã se hoje é 'o novo' e nem acabou ainda neh???

segunda-feira, 22 de junho de 2009

"Não era amor..."

“Se não era amor, era da mesma família. Pois sobrou o que sobra dos corações abandonados. A carência. A saudade. A mágoa. Um quase desespero, uma espécie de avião em queda que a gente sabe que vai se estabilizar, só não se sabe se vai ser antes ou depois de se chocar contra o solo. Eu bati a 200 km por hora e estou voltando á pé pra casa, avariada. Eu sei, não precisa me dizer outra vez. Era uma diversão, uma paixonite, um jogo entre adultos. Talvez este seja o ponto. Talvez eu não seja adulta o suficiente para brincar tão longe do meu pátio, do meu quarto, das minhas bonecas. Onde é que eu estava com a cabeça, de acreditar em contos de fada, de achar que a gente muda o que sente, e que bastaria apertar um botão que as luzes apagariam e eu voltaria a minha vida satisfatória,sem seqüelas, sem registro de ocorrência? Eu não amei aquele cara. Eu tenho certeza que não. Eu amei a mim mesma naquela verdade inventada. Não era amor,era uma sorte. Não era amor, era uma travessura. Não era amor, eram dois travesseiros. Não era amor, eram dois celulares desligados. Não era amor, era de tarde. Não era amor, era inverno. Não era amor, era sem medo. Não era amor, era Melhor“
(Divã – Martha Medeiros - do blog da Lica)

**********************************************************
Ci>> por mais sábia, inteligente, vivida, experiente que seja uma mulher, o amor a fará repensar em seus contos de fadas mais íntimos, a fará descer do pedestal de inatingível e sofrer entre os mortais a mais dolorida dor da saudade, da falta, da carência... uma vez ouvi de um sábio que isso se deve ao 'X' que temos a mais que os homens, responsável também pela gula pelo chocolate e pela tendência ao consumismo quando ficamos depressivas... eu já penso que é mais que isso. Mulher é o ser que sente, que age por instinto, muito mais do que o homem, porque as lágrimas de um homem doem muito mais em nós, as feridas de um homem ficam de maior proporção em nós... e estranhamente suportamos tudo isso com muito mais força que eles. E, 'Apesar de', ainda esperamos por um novo sol, por um novo dia!

Tempo Precioso

"Na bruma leve das paixões que vêm de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal
No teu cavalo peito nu cabelo ao vento
E o sol quarando nossas roupas no varal
Tu vens, tu vens, Eu já escuto os teus sinais
Tu vens, tu vens Eu já escuto os teus sinais
A voz do anjo sussurrou no meu ouvido
E eu não duvido já escuto os teus sinais
Que tu virias numa manhã de domingo
Eu te anuncio nos sinos das catedrais"
(Anunciação – Alceu - do blog 'Cante lá que eu canto cá)
**************************************************
Ci>> "Além da realidade, há outras realidades que se desdobram como degraus. Nossos passos sobem e descem a escada, no dia admiravel e na noite branda. São como sonhos tributarios de outros sonhos ou janelas abertas para o mar. Não sabemos onde estamos. Não sabemos o que somos. Nada sabemos, a não ser que há uma noite pura e vazia a nossa espera. Uma noite intocável além do fogo e do gelo, e de qualquer esperança. (Trecho da obra Réquiem, II, do poeta Lêdo Ivo.)" - Deixo ambos os textos a critério do entendimento do leitor! xxxxx

FAZER AMOR

Fazer amor não é tão fácil como se pensa. Talvez fazer amor seja mais difícil do que encontrar o próprio amor.
Fazer amor é resgatar do passado o sonho de amar, é sublimar o pensamento fazendo-o penetrar devagarzinho no coração do ser amado, ou talvez fazer amor, seja esquecer de si mesmo para lembrar que o outro existe e tem um coração que ainda pode estar por outro coração enamorado. Fazer amor é abrir alicerce no coração, juntar pedacinhos de saudades, fazer argamassa de ternura e assentá-las com a mistura da emoção. Ou quem sabe, fazer amor seja elevar o ser amado tão próximo de Deus e dizer-lhe, eis a sua adoração.
Fazer amor é adornar a alma do ser amado com a mesma luz que ele iluminou você, é fazer textura trabalhada no carinho e dizer, este é o caminho que eu lhe fiz. Ou fazer amor, é cultivar no canteiro do coração a paz deseja, e entregá-la ao outro com o fruto adocicado do amor e dizer-lhe, colhe e prova este não é sobra, é a sustentação do amor que eu guardei para você, bem aqui no cantinho do coração.
Fazer amor é aconchegar-se no coração do outro e dizer com o coração, eu amo você!... Adormecer, sonhar e despertar para continuar amando, levando o outro a conhecer e sentir o gozo de fazer verdadeiramente o santo amor. É assim que eu entendo, é assim que eu sei fazer amor.
(Autor )

****************************************
Ci>> ... fazer amor é continuar a obra da criação de Deus, através da mistura do que há de mais abençoado por Ele: o espírito dos amantes. Só consegue FAZER AMOR quem consegue comunhar com Deus e ama ao próximo como a si mesmo... ;)

ATESTADO DE MALUQUEZ

A gente sempre sabemoque maluco nois semo,
porque muito poetemo...
Diz qui de poeta e louco, todos temo um pouco...
Mai... reconheça, e disso mai num isqueça...
Essa nossa maluqueza, fais da vida uma beleza,
alegra as arma das pessoa,
fais genti sorri inté cando as coisa num tão boa...
Poeta a genti semo,
di amô a genti screvemo...
Nois crevi di paz, da Natureza,
i fais da vida sempri uma beleza...
A gente semo repentista, qui da poesia num perde a pista...
Intão, essa minina, si noi semo maluco,
longi tamo di sê caduco...
Venha de lá um abraço danado di bão,
pra alegrá nossos coração...
(Autor )
*************************************
Ci>> eu, maluca? maluco é quem não aproveita a vida... não vive... sobrevive!

Ser feliz é compreender

"Por que amargar na boca o fel do desespero? A felicidade vem em gotas, rotuladas como 'Esperança'.

'Gotas de mel; do doce mel da felicidade. Não importa a sua realidade aparente, sempre há mel no pote, e sempre está disponível para você.' (Ionaz)

Felicidade é o mel que adoça a nossa boca a cada momento. Ser feliz é ser capaz de saborear essa doçura, mesmo quando a boca parece querer amargar frente aos dissabores de um dia difícil. Tudo na vida tem uma razão de ser. E tudo envolve uma lição.

Então, o que normalmente chamamos de "problemas", pode muito bem ser entendido como "oportunidades". Quando compreendemos isso verdadeiramente, passamos a saborear com mais frequência o mel da felicidade."

(Trecho retirado do livro "Todo Dia É Dia de Ser Feliz", de Gilberto Cabeggi - Editora Gente.)

AOS "OBREIROS DE BOA VONTADE"


"Meus irmãos: Jesus nos abençoe.

A obra do Senhor conta com servidores de todas as latitudes, tendências e direções. Alguns somente cooperam em tarefas que lhes agradem. São os obreiros caprichosos.
Outros não colaboram, se a multidão dos amigos não lhes observa os esforços. São os obreiros vaidosos.
Alguns ajudam, segundo as circunstancias do tempo. São os obreiros inconstantes.
Vários comparecem, a fim de reparar as contribuições alheias. São os obreiros levianos.
Diversos colaboram indicando os defeitos dos companheiros. São os obreiros escarnecedores.
Muitos auxiliam, quando há benefícios imediatos. São os obreiros oportunistas.
Não poucos surgem no serviço, reclamando as vantagens para o seu circulo pessoal. São os obreiros egoístas.
Grande parte intervém no trabalho, discutindo direitos e prioridades, privilégios e favores para si ou para aqueles que se lhes façam simpáticos. São os obreiros apaixonados.
Inúmeros aparecem nos quadros da ação, enganando o tempo e menosprezando-o, recebendo sem dar, desfrutando sem retribuir e absorvendo a luz e a benção sem irradiá-las. São os obreiros infelizes.
Mas, o Mestre glorifica-se nos cooperadores que não cogitam de prerrogativa e remuneração, que servem onde, como e quando determina a sua Vontade Sabia e Soberana. São os “Obreiros da Boa Vontade”.

(pelo Espírito André Luiz - Do Livro: Através do Tempo, Médium: Francisco Cândido Xavier - Espíritos Diversos.)
****************************************
Ci>> Mensagem recebida e entendida!

Toque de Magia


O toque de magia está no ar.

Não decorre de nossas atitudes pensadas, calculadas e racionais. É o mistério que nos rodeia. Se pararmos para realmente perceber, o nosso corpo envia mensagens, nossas células falam... Nossa respiração torna-se mais acelerada, não de ansiedade, mas de uma deliciosa excitação. Uma leve vibração física, um estímulo se manifesta sob a forma de inspiração.

A consciência do olfato, interage com o meio ambiente e faz com que o nosso corpo esteja mais integrado e próximo à terra. Profundamente instintivo, o paladar se manifesta. Os sons tornam-se mais perceptíveis e a nossa visão se torna presente, mesmo fora do nosso alcance.

As informações nos chegam com forma, cores, simbolos, nuances, profundidade e cenas.

Mergulhando abaixo da superfície das distrações de nossa vida cotidiana, experienciamos o mais profundo "saber".

Mantenho simplesmente a intenção de ouvir além dessa vibração e descobrir o silêncio, o aveludado lugar onde o “entendimento” se encontra. Neste exato lugar não há temores, nem preocupação.

É o toque de magia! Você é a ALMA! Você se move com a vida! Como continuar acreditando que tudo é natural diante dos pequenos milagres sincrônicos? Quando deixamos que a vida flua, o apego e o ego dão lugar a um estado benevolente e tranqüilo. É tudo muito claro e os “encaixes” são perfeitos.

Acontecimentos aleatórios e sem sentido nos encaminham à tudo que precisamos em seguida. As idéias parecerão deslizar suavemente até a manifestação, quando permitimo-nos ser simples...

Cultive a capacidade de se maravilhar com a vida. Admire a beleza de uma libélula, o olhar de uma criança, o sorriso de um estranho.

Vincent van Gogh disse que 'é muito lindo aqui, se a pessoa tiver um olho simples e aberto sem qualquer luz nele. Mas, quando a pessoa tem isso, todo lugar é lindo!'.

Quando experenciamos esse sentimento em toda a sua plenitude, podemos chorar num inevitável estado de êxtase e tocar o invísivel. Preste atenção aos sinais que a todo momento a vida lhe dá.

Respire, sinta, ouça, veja ... o TOQUE DE MAGIA está no ar!

(Silvana Giudice)
*************************************
Ci>> Lulli, esse texto é prá você amiga... para que você acredite nos sinais que a vida dá, e aprenda com eles, use-os a seu favor, e preste atenção no que vem até você... porque é exatamente a chamada da próxima cena a seguir... é aquela sequência de acontecimentos que nos leva a atingir o que queremos, o que vibramos... somos parte de um todo amiga... e podemos sim agir em favor próprio, e em busca da felicidade, se houver luz no objetivo a ser cumprido. Se não houver, é energia jogada fora. Pense nisso ok? Um beijo, que essa mensagem possa chegar até seu corazoncito, miguda!

COMO USUFRUIR DAS PRÓPRIAS EMOÇÕES

Para usufruir totalmente de alguma coisa, qualquer coisa, é preciso primeiro conhecer e entender o mecanismo desta tal coisa.
Tenho a forte impressão que os manuais que acompanham todos os eletrodomésticos hoje em dia vêm com esta intenção. Quanto mais se conhece a respeito de algo, mais e melhores vantagens podemos obter. Com as emoções é a mesmíssima história, então precisamos prestar atenção e nomear estas emoções a fim de usufruirmos de todo o nosso potencial emocional. Trabalhar com as emoções assim que as identificamos; este pode ser um excelente exercício, e um aprendizado sobre nossa humanidade. Um exemplo para facilitar - em outra área que não a das emoções, quando nos damos conta do que está nos amolando e nos deixando irritados é simplesmente fome ou o sapato apertado, fica bem mais fácil resolver a questão.

O mesmo com as fortes ou até com as sutis emoções, se posso dar um nome para aquilo que estou sentindo como, por exemplo, raiva - mágoa ou mesmo a famigerada rejeição, já posso trabalhar com ela, na verdade posso aprender com e através desta emoção, deste sentimento, que a partir de agora tem um nome.

Importante dizer:- Que agora eu dei um nome, para a minha emoção! Pois as outras pessoas podem olhar para mim e pensar que estou com ódio, mas eu sei que o que sinto é, por exemplo, mágoa.

Pensar no que se esta sentindo, no que se esta pensando, é vital para que possamos conviver da melhor forma conosco; trabalhar a frustração do momento pode ser uma grande lição e para toda a vida. Ter consciência de estarmos sentindo raiva neste determinado momento pode nos dar tempo para pensar ao invés de simplesmente reagirmos agressivamente.

Se pudermos ter consciência de que mais um pouco vou explodir o barril de pólvora que me tornei, posso sair de perto do fogo, não é?

Extravasar as emoções é usufruir delas por inteiro. Como fazer isso num acesso de raiva sem machucar ou gritar com alguém? Podemos socar a almofada, morder o travesso, ou simplesmente sair de perto, de quem me causa tanto mal. E acreditem existem pessoas que fazem isso, com muita rapidez; e conseguem despertar o pior que existe em nós.

O corpo reage sempre a cada emoção. Quem esta sem prática para perceber o que esta sentindo a cada instante pode começar se percebendo pelo próprio corpo, que fala e fala muito! Às vezes é uma aceleração cardíaca em outro instante, é um nó no estômago ou o ato de engolir em seco, uma dor nas costas, um torcicolo e muitas outras reações corporais que podem surgir acompanhando uma emoção.

A cada instante podemos notar nossas mudanças através do nosso físico. Isso é treino, e quanto mais nós pararmos para identificar nossas emoções através das reações corporais, mais fácil se tornará a identificação e das emoções subjacentes. Porém o melhor deste exercício é aprender sobre nós mesmos. Desenvolver um olhar mais detalhado entender o que os anseios, frustrações, impossibilidades, tristezas e todas as demais situações humanas que o cotidiano nos traz; é poder trabalhar com as dores emocionais que sentir tudo isso nos causa, e então vivermos melhor.

Existem inúmeras Essências DÁgua que podem ajudar em cada uma das diferentes sensações emocionais e físicas sentidas. Você pode identificá-las ao visitar o site:- http://www.essenciasdagua.com/ - escolher e montar uma fórmula especial para aquela sensação física que desperta juntinho com uma determinada emoção, e experimentar o conforto que estar equilibrado física, mental, emocional e espiritualmente nos dá.

Em na Paz poder usufruir das próprias emoções a cada momento na vida!
(por Cássia Marina Moreira - dagua@essenciasdagua.com)

****************************************
Ci>> Faz parte do processo de reforma íntima o auto-conhecimento, quando realmente aprendemos qual o significado de cada uma de nossas ações, e principalmente das nossas reações. E quando isso acontece, aprendemos a controlá-las a nosso favor, permitindo evitar maiores estragos ou até proporcionar algum bom retorno de tal situação, sempre a nosso favor. (Acho que vou passar essa fase, e estudar psicologia, estou ficando boa nisso hein!) A busca de nós mesmos é bonito de falar, é legal ler em livros de auto-ajuda, mas são poucas as pessoas que têm a coragem suficiente para romper com o que lhe faz mal e buscar o entendimento do momento para saber lidar com um próximo conflito, SAIR DA ZONA DE CONFORTO E BUSCAR PELO QUE REALMENTE ACREDITA SER O QUE LHE SERÁ MELHOR, ARRISCAR! Porque assumir nossos pontos fracos é um exercício muito mais que difícil, requer muito mais força e determinação do que parece. E ao contrário do que se diz, é sim possível fazê-lo sem ajuda profissional, basta que queiramos mesmo esta mudança...

Quem não luta pelo que quer, não merece o que deseja

Pare um pouco para pensar na sua vida, deixe por um instante de lado a sua correria, aqueles afazeres automáticos, do tipo acordar, tomar banho, café e sair como se tivesse que tirar alguém da forca. Tenha calma... O dia irá transcorrer com você com sua pressa ou não. Relaxou? Pois bem, agora me diga: o que você quer para a sua vida? O que você acha que pode ou não fazer para melhorar e mudar a sua vida? Você está legal assim como está? Ou deseja fazer algo mais? Talvez concluir aquele curso de línguas que deixou lá atrás e prometeu retomar assim que tivesse tempo ou dinheiro... [Ci>> vou voltar, eu juro!!! rs] em qual das duas situações se encontra hoje? Com tempo ou com dinheiro?
Caso esteja sem os dois, sinto, mas as coisas não andam muito bem. E aquela ginástica que você decidiu começar no início desse ano, logo após o carnaval. Lembra-se? Imagino que já começou e está com um condicionamento físico fora de série, a ponto de correr uma meia maratona... Caso isso não tenha ocorrido, sinto, mas as coisas ainda não andam bem. Ah, aquela dieta, que você programou depois do dia em que foi à praia e negou-se a tirar a canga, sentada o tempo todo, prometendo a você, que no próximo verão estaria linda e maravilhosa em um biquíni novinho em folha e aquela canga nunca mais! Parabéns, se você cumpriu o que programou... Caso não tenha feito, de novo algo não anda bem.

E, você, meu velho! Que prometeu para a sua namorada, esposa, mãe, filha que iria parar de fumar logo após as férias merecidas -afinal, férias são férias- e como ficar sem dar aquelas baforadas acompanhadas da cerveja gelada, na praia, na churrasqueira com os amigos, no futebol, na pescaria ou na mesa de sinuca. Imagino que a lei de proibição do fumo em lugares fechados não o tenha afetado, afinal, é um ex-fumante; caso ainda o esteja afetando, algo também anda mal.

A vida é feita de conquistas, sejam pessoais, daquelas em que resolvemos mudar atitudes, hábitos, vícios, comportamentos que achamos que não estão bem, seja de grandes conquistas, um novo amor, um filho, um novo trabalho, um diploma que tanto lutamos para tê-lo, uma nova casa, um novo carro, um sitio na montanha, uma casa na praia. Conquistas interiores, mudanças na nossa visão da vida, troca de valores que estavam profundamente enraizados em nossa mente, uma melhor qualidade de vida, menos trabalho, mais tempo com a família, participar de ações sociais. Isso move a vida. É por isso que devemos lutar, com todas as nossas forças. Não estamos aqui para sermos apáticos em relação à nossa vida, temos que vivenciá-la, caminhar com passos de Bandeirante desbravando matas, descobrindo mundos, conhecendo pessoas, outras culturas, outros lugares, permitir-se mudar. A vida é lutar por aquilo que podemos realizar!

Quando você acredita que não pode, ou quando acredita que pode, tenha certeza que as duas alternativas estão certas. Portanto, acredite sempre naquilo que você quer e lute para realizar. É assim que funciona a mente, caso você não a domine, ela domina você. Delete todas as possibilidades de que as coisas não irão dar certo, afaste sua mente da negatividade, tome a postura de um(a) vencedor (a) e o mundo abrirá as portas para você passar. Faça por merecer tudo o que você deseja e lute por isso.


~*~*~*~*~*~*~

Quien no lucha por lo que quiere, no merece lo que desea::

:: por Nelson Sganzerla - nelsonsganzerla@terra.com.br - Traducción de Teresa - teresa_0001@hotmail.com
Párate un poco a pensar en tu vida, deja a un lado por un instante tu correría, aquellos que haceres automáticos, tales como despertar, ducha, desayuno y salir como si tuvieses que librar a alguien de la horca. Ten calma… El día transcurrirá con o sin ti y tu prisa. ¿Te has relajado? Pues bien, ahora dime: ¿qué quieres para tu vida? ¿Qué consideras que puedes o no hacer para mejorar y cambiar tu vida? ¿Te encuentras estupendamente así como estás? ¿O deseas hacer algo más? Quizá terminar aquel curso de idiomas que se te ha quedado allá atrás y que habías prometido retomar tan pronto como tuvieses tiempo o dinero… ¿en cuál de las dos situaciones te encuentras hoy? ¿Con tiempo o con dinero? Si estás sin los dos, lo siento, pero las cosas no andan muy bien. Y aquella gimnasia que habías decidido empezar al comienzo de este año, tan pronto como pasaran los carnavales. ¿Te acuerdas? Supongo que ya has empezado y ya tienes unas condiciones físicas fuera de serie, hasta el punto de correr medio maratón… Si esto no ha ocurrido, lo siento, pero las cosas todavía no andan bien. Ah, aquella dieta, que habías programado después del día en que fuiste a la playa y te negaste a quitar el pareo, sentada todo el tiempo, prometiéndote a ti misma que el próximo verano estarías linda y maravillosa en un bikini de estreno ¡y aquel pareo nunca más! Enhorabuena, si has cumplido lo programado… Si no lo has hecho, nuevamente algo no anda bien.¡Y tú, mi viejo! Que habías prometido a tu novia, esposa, madre, hija, que ibas a dejar de fumar después de las vacaciones merecidas – al fin y al cabo, las vacaciones son las vacaciones – y cómo ibas a estar sin dar aquellas caladas acompañadas de la cerveza fría, en la playa, en el churrasco con los amigos, en el fútbol, en la pesca o en la mesa del billar.

Supongo que la ley de prohibición del tabaco en lugares cerrados no te ha afectado, al fin y al cabo eres un ex fumador; si aún te está afectando, algo también anda mal.La vida está hecha de conquistas, ya sean personales, como aquellas en que decidimos modificar actitudes, hábitos, vicios, comportamientos que no nos parecen buenos, o bien grandes conquistas, un nuevo amor, un hijo, un nuevo trabajo, un diploma que tanto hemos luchado para tener, una nueva casa, un nuevo coche, una quinta en la montaña, una casa en la playa.

Conquistas interiores, modificaciones en nuestra visión de la vida, cambio de los valores que teníamos profundamente enraizados en nuestra mente, una mejor calidad de vida, menos trabajo, más tiempo con la familia, participar en acciones sociales.Esto mueve la vida. Y es por esto por lo que debemos luchar, con todas nuestras fuerzas. No estamos aquí para ser apáticos en relación a nuestra vida, tenemos que vivenciarla, caminar con pasos de Abanderado desbravando selvas, descubriendo mundos, conociendo personas, otras culturas, otros lugares, permitiéndonos cambiar.

¡La vida es luchar por aquello que podemos realizar! Cuando crees que no puedes, o cuando crees que sí puedes, ten la seguridad de que las dos alternativas son verdaderas. Por tanto, cree siempre en aquello que quieres y lucha para que se realice. Así es como funciona la mente, si tú no la dominas, ella te dominará. Desecha todas las posibilidades de que las cosas no salgan bien, aleja tu mente del negativismo, adopta la postura de un(a) vencedor(a) y el mundo abrirá las puertas para que tú pases.

Haz por merecer todo lo que deseas y lucha por ello.Piensa en esto.

***********************************

Ci>> Ultimamente alguns amigos de fora do Brasil têm me pedido para traduzir os textos que coloco... Prometo a vocês que os textos que eu encontrar com tradução pronta, vou postar em ambas as versões... os que eu não encontrar, se der um tempinho, tento traduzir (e prometo que vou voltar ao espanhol, eu juro!!!)

Quanto ao texto acima, mtos têm sido os assuntos e comentários que tenho postado sobre este tema: porque acredito nele de verdade. Acredito mesmo que a mente domina e atrai aquilo que queremos, porque quando queremos por inteiro, buscamos, quer seja dia a dia, quer seja tijolinho por tijolinho. E não há no mundo quem nos coloque contra isso, ou nos derrube as idéias e intenções quando estamos realmente determinados. Da mesma forma acredito que só é merecedor daquilo que espera alcançar quem realmente abre mão do que já possui em prol de seu sonho, de sua luta, de seu objetivo... e quem luta por isso e todos os dias acorda com a mensagem em mente de que 'hoje é um dia a menos até o alvo... agora falta pouco!'. Um sábio me ensinou que 'Nada é impossível', e 'nunca devemos dizer nunca'! Tenhamos todos uma semana M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-A!!!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

FIZ!

"Afundei-me, fui de cabeça,
respirei cada raiz,
acompanhei cada haste e seus efeitos,
tudo que dependeu de mim, fiz!
Embrenhei-me, ouvi urros,
vi subir ramos e por causa de musgos,
falo do meu desengano!
Impossível ir mais dentro de mim!
Encontrei lugares desfeitos;
uns abandonados; outros levemente refeitos;
cheguei a escutar grito;
órgão um ao outro abarcado,
como quem tem medo
que pela forma que vivencio,
seja "o da vez"..
Volto à vida um tanto machucada,
bastante ferida, mas se algo me rendeu
é porque comigo não condiz.
Tudo que de mim dependeu, tenham certeza, eu fiz!"
(Autor )
********************************************
Ci>> pode ser que eu tenha feito coisas meio insanas, pode ser que eu tenha exagerado, tenha me excedido... pode ser até que não tenha sido compreendida, e até mesmo tenha sido julgada. Mas eu fiz absolutamente TUDO o que eu podia ter feito enquanto meu corpo e minha alma estavam envolvidos, FIZ... e fiz de coração, dei de coração, amei de coração, coloquei meu coração, doei meu coração. Não me arrependo de absolutamente nada, até porque não deixei de fazer nada. E só devemos nos arrepender do que não fizemos...
posso até colocar umas citações aqui:
'...se chorei, ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi!' (RC) ou
'...Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.(Clarice Lispector)'
É como eu sempre digo, pode ser que eu dê de cara na porta, mas pelo menos história prá contar eu tenho...rs!
Bjs!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
VOU VIVER ME DESCOBRINDO!
Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo...
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos...
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso...
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos...
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem...
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que amaram...
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir...
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi...
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto...
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir...
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam... Já tive crises de riso quando não podia... Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva...
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse... Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar... Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros...
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros...
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz...
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava...
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali"...
Já cai inúmeras vezes achando q não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais...
Já liguei para quem não queria apenas para ligar para quem realmente queria...
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava...
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo... mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda...
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri q não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim...
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre... Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!... Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!... Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão... Sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo pra SEMPRE! Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes ...
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos. Você pode até me empurrar de um penhasco que eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR! TÃO BOM MORRER DE AMOR E CONTINUAR VIVENDO!
(Clarice Lispector na íntegra!)
*******************************************
Ci>> se eu fosse igual a todo mundo não me chamaria CINTIA!
;P

Amor à Distância

Para os coraçõezinhos apaixonados...
"Um amor que chega sem ser esperado, que não pede permissão para entrar, mas que invade o corpo inteiro, como se dono fosse do meu ser. Um amor que vi aos poucos dentro de mim crescer! Um amor que a distância não impediu de aflorar na minha existência tão sem graça, que me trouxe a alegria de estar vivo, que despertou a emoção adormecida!
Quando descobri que estavas em minha vida. Ah! Esse amor que chega a doer de tanta saudade, que anseia em seus braços um dia ser aconchegado, que sonha com seu rosto um dia acariciar, em teu corpo os delírios do prazer sentir. E o seu coração com o meu amor seduzir! Ah! Esse amor... Esse amor... Que deixa meu corpo em brasas quando em sonho muitas vezes acordado, sinto o seu corpo sob o meu, e assim por ti estar sendo amado.
O que seria a de mim se não sonhasse! Talvez perdesse a esperança... Mas eu sonho, e tenho esperança que um dia em nossas vidas vou lhe encontrar, com meu carinho e meu amor poder dizer que e eu nasci para lhe amar e ser amado por você!"

(Autor - do blog 'amigos da ota e da poesia')
******************************************************************
Ci>> Lindíssimo! (hahahaha, hoje é dia! deve ter alguém de graça comigo lá em cima viu! só pode...)

Quando você está totalmente

"Quando você está totalmente comprometido com seu sonho, como num verdadeiro passe de mágica muitas oportunidades irão surgir – da mesma forma que surgirão também os obstáculos.
Entretanto, ambos têm igual importância. São eles que irão contribuirpara que você se torne a pessoa que precisa ser, a fim de alcançar seu sonho.
Contudo, para que isso se torne uma realidade você tem que crescer; e para crescer você precisa sair da sua zona de conforto. Saiba que são os obstáculos e os desafios que lhe dão a plataforma para tal empreendimento."
(Autor - Blog 'amigos da ota e da poesia')
***************************************************************
Ci>> Não existem coincidências, existe atração! Atraímos aquilo que vibramos. Atraímos o que queremos, por que nos levará ao objetivo que formamos... não é coincidência, é a providencia divina se colocando em movimento!

A palavra que faltava

Havia uma mulher que amava as palavras. Desde a meninice, elas exerciam sobre ela um grande fascínio. Talvez por isso ela tenha aprendido a ler muito cedo. Desejava decifrar aqueles sinais que preenchiam as páginas do jornal. Gostava de apreciar a sonoridade das palavras. Umas suaves, outras mais agressivas. E de aprender o significado de cada uma delas. Encantava-se em saber que as palavras têm o poder de representar o pensamento humano e estabelecer a comunicação entre as pessoas. Descobriu que existem palavras doces e perfumadas, como flor, carinho, amizade, maçã. Outras, tristes e angustiantes como lágrima, distância, saudade. Algumas dolorosas como crime, fome, abandono, guerra. Algumas alegres e descontraídas, como primavera, natureza, criança. Verificou que existem palavras que soam como uma sentença de morte, como câncer. Dá para imaginar o impacto que esse vocábulo é capaz de causar nos ouvidos de quem a ouve? Um dia, no entanto, ela ouviu dos lábios do médico que acabara de examinar com muito cuidado uns raios-x, esta palavra e a achou muito feia. Num momento, a paisagem se modificou, pareceu-lhe não haver mais luz, embora ainda fosse dia. O sangue lhe sumiu das faces, dando lugar a um suor gélido. O coração tentou fugir a galope. Ela se lembrou de que, tempos atrás, fora convocada para uma batalha pela vida. Agora, outra vez lhe competia empreender a luta pela vida. Fruto da ignorância, o medo, sempre oportunista, se instalou e a insegurança a dominou. O especialista foi lhe afirmando que havia muitas chances de melhora, graças às mais recentes conquistas da medicina. Mas ela nem conseguia mais prestar atenção. A voz do médico parecia distante. O cérebro dela desenhava paisagens sombrias, comprometendo o equilíbrio. De volta ao lar, um tanto mais calma, talvez inspirada por benfeitores invisíveis, ela se lembrou de orar. Preparou sua alma para entrar em contato com Jesus e lhe rogar as forças necessárias. Enquanto orava, pareceu ver o azul do firmamento, num cair de tarde, começando a salpicar de estrelas. Dele se destacou uma luz radiante, abrangendo todo o espaço ao seu redor. Alguém, de olhar sereno e sorriso cativante lhe estendeu os braços. Caminhou em sua direção e um delicado perfume a envolveu. Ela se sentiu aconchegar de encontro ao peito daquela criatura tão serena, como se fosse uma criança amedrontada. Uma nova energia invadiu todo o seu ser e, então, como um canto divino ela ouviu dentro d’alma a voz melodiosa do mensageiro: Filha, por que choras? Entre todas as palavras que admiras, esqueceste a mais importante, a mais poderosa. Ela se atreveu a perguntar: e que palavra eu esqueci, Senhor? Ele se afastou um pouco, tomou o rosto dela entre suas mãos e olhando-a com doce ternura, respondeu: a palavra é fé! ...............
Fé é a mola propulsora que permite superar óbices e vencer obstáculos. Fé é força motriz da alma que, assim alimentada, vence os percalços e avança, vitoriosa. Por esta razão é que o Mestre de Nazaré ensinou, um dia: se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda, direis a esta montanha: move-te daqui para lá e ela se moverá. E a montanha que todos precisamos mover para avançar na estrada da vida, chama-se dificuldade.

Bom dia! (Autor desconhecido - texto recebido da Ale - prima)
************************************
Ci>> dedico este texto à minha amiga Denise, que está precisando muito!!! Fé amiga!

quinta-feira, 18 de junho de 2009

A escolha do seu par

Há trinta anos, os adolescentes encontravam o sexo oposto em bailes de salão organizados por clubes, igrejas ou pais responsáveis preocupados com o sucesso reprodutivo de seus rebentos.
Na dança de salão o homem tem uma série de obrigações, como cuidar da mulher, planejar o rumo, variar os passos, segurar com firmeza e orientar delicadamente o corpo de uma mulher. Homens levam três vezes mais tempo para aprender a dançar do que mulheres. Não que eles sejam menos inteligentes, mas porque têm muito mais funções a executar. Essa sobrecarga em cima do homem permite à mulher avaliar rapidamente a inteligência do seu par, a sua capacidade de planejamento, a sua reação em situações de stress. A mulher só precisa acompanhá-lo. Ela pode dedicar seu tempo exclusivamente à tarefa de avaliação do homem.
Uma mulher precisa de muito mais informações do que um homem para se apaixonar, e a dança permitia a ela avaliar o homem na delicadeza do trato, na firmeza da condução, no carinho do toque, no companheirismo e no significado que ele dava ao seu par. Ela podia analisar como o homem lidava com o fracasso, quando inadvertidamente dava uma pisada no seu pé. Podia ver como ele se desculpava, se é que se desculpava, ou se era do tipo que culpava os outros.
Essa convenção social de antigamente permitia ao sexo feminino avaliar numa única noite vinte rapazes entre os 500 presentes num grande baile. As mulheres faziam um verdadeiro teste psicológico, físico e social de um futuro marido e obtinham o que poucos testes psicológicos revelam. Em poucos minutos conseguiam ter uma primeira noção de inteligência, criatividade, coordenação, tato, carinho, cooperação, paciência, perseverança e liderança de um futuro par.
Infelizmente, perdemos esse costume porque se começou a considerar a dança de salão uma submissão da mulher ao poder do homem, porque era o homem quem convidava e conduzia a mulher.
Criaram o disco dancing, em que homem e mulher dançam separados, o homem não mais conduz nem sequer toca no corpo da mulher. O som é tão elevado que nem dá para conversar, os usuais 130 decibéis nem permitem algum tipo de interação entre os sexos.
Por isso, os jovens criaram o costume de "ficar", o que permite a uma garota conhecer, pelo menos, um homem por noite sem compromisso, em vez de conhecer vinte rapazes numa noite, também sem compromissos maiores.
Pior: hoje o primeiro contato de fato de um rapaz com o corpo de uma mulher é no ato sexual, e no início é um desastre. Acabam fazendo sexo mecanicamente em vez de romanticamente como a extensão natural de um tango ou bolero. Grandes dançarinos são grandes amantes, e não é por coincidência que mulheres adoram homens que realmente sabem dançar e se apaixonam facilmente por eles.
Masculinizamos as mulheres no disco dancing em vez de tornar os homens mais sensíveis, carinhosos e preocupados com o trato do corpo da mulher. Não é por acaso que aumentou a violência no mundo, especialmente a violência contra as mulheres. Não é à toa que perdemos o romantismo, o companheirismo e a cooperação entre os sexos.
Hoje, uma garota ou um rapaz tem de escolher o seu par num grupo muito restrito de pretendentes, e com pouca informação de ambas as partes, ao contrário de antigamente.
Eu não acredito que homens virem monstros e mulheres virem megeras depois de casados. As pessoas mudam muito pouco ao longo da vida, na realidade elas continuam a ser o que eram antes de se casar. Você é que não percebeu, ou não soube avaliar, porque perdemos os mecanismos de antigamente de seleção a partir de um grupo enorme de possíveis candidatos.
Fico feliz ao notar a volta da dança de salão, dos cursos de forró, tango e bolero, em que novamente os dois sexos dançam juntos, colados e em harmonia. Entre o olhar interessado e o "ficar" descompromissado, eliminamos infelizmente uma importante etapa social que era dançar, costume de todos os povos desde o início dos tempos.
Se você for mãe de um filho, ajude a reintroduzir a dança de salão nos clubes, nas festas e nas igrejas, para que homens aprendam a lidar com carinho com o corpo de uma mulher.
Se você for mãe de uma filha, devolva a ela a oportunidade que seus pais lhe deram, em vez de deixar sua filha surda, casada com um brutamontes, confuso e isensível idiota.
(artigo de Stephen Kanitz, publicado na Revista Veja - outubro de 2004 - tirado do site do primeiro programa)
***********************************************

Ci>> até a mulher mais independente da face da terra se deixa levar na pista, quando é bem conduzida. E o faz com prazer, pq é uma DELICIA ser bem conduzida por um parceiro INTERESSADO em fazer com que o passo saia perfeito pela Dama... mais preocupado com a postura e o desempenho dela do que com o dele... e qual mulher não ficaria PASSADA vendo um homem de feições duras tornar-se um gentleman sorridente ao estender suas mãos para que a dama possa acompanha-lo em algum ritmo, no qual ambos farão uma PARCERIA para dar um show de ENTRETERIMENTO e AFINIDADE??? E Se este homem de feições tão pesadas, sombrancelhas grossas, rosto cisudo, de repente abre um sorriso e se mostra todo mole mole prá dança? ahhhh, aí a Dama não resiste e deixa até ele tirar uma lasquinha (se ambos estiverem disponíveis, claro)... Não há melhor maneira de demonstrar amor por alguém se não for através da arte, seja ela uma pintura, uma música, uma poesia, ou a dança... e não há amor tão puro quando parte da arte, por que foi trazido através do sentimento mais puro que alguém pode sentir: aquele que vem do sentido da alma!
A inspiração para escrever o especial sempre surge a partir de vários sinais. Palavras trocadas com pessoas próximas, e-mails que caem na caixa postal mais do que na hora certa, sincronicidades bem legais que aconteceram com muitos dos colaboradores e seus textos desta semana... A Izabel Telles, num texto inspiradíssimo, comemorando como que um renascimento ao completar 60 anos, em 13 de Junho passado. Elizabeth Cavalcante trazendo-nos um grande texto do Osho por ela comentado de forma sublime sobre as felizes conseqüências de vivenciar o Amor verdadeiro após serena e paciente espera. Bel César tratando de forma elevada da nossa dificuldade em saber receber... O Wagner Borges com seu "Lições do Tempo e da Vida" falando de amor e milagres... e, por fim, a Rubia Dantés com seu imperdível: "Esse caminho tem coração?" Uma receita para a busca permanente do amor incondicional em nossa andança pelo planeta azul. Coincidências demais... além de eu mesmo estar vivenciando em primeira pessoa o milagre tão bem ilustrado pela Elizabeth.
Sim, vivendo realmente de acordo com os princípios espirituais, com os valores das Leis Naturais que o Site divulga desde sua fundação, não é necessário fazer nada além de estar aberto, ter paciência e fé, que o Universo se encarregará de colocar em contato as pessoas que estão em sintonia, em vibração harmoniosa, permitindo que elas percebam a mágica acontecendo aos poucos, passo a passo, sem sobressaltos, sem medos, sem desconfiança, desfrutando plena e profundamente cada momento passado juntos.
É impossível que a trama mágica venha a falhar, não funcione. As pessoas são colocadas frente à frente repetidas vezes, começam a perceber aos poucos as características umas das outras, as boas e as menos boas, até sentirem uma afinidade básica, real, palpável. As inúmeras decepções anteriores podem ainda manifestar sua presença e jogar água fria na incipiente relação, mas os dias passam e as velhas feridas são levadas em conta em sua verdadeira importância, isto é, como antigos erros que nunca mais serão repe tidos, que definitivamente terão perdido a força de machucar a alma das pessoas, cada vez mais conscientes e despertas. Neste momento, caem por terra os preconceitos estabelecidos por quem, com poder político ou religioso desde que mundo é mundo, quer controlar nossa vida, nossos sonhos, o destino que nos é reservado.
Finalmente, todo esse pobre emaranhado de normas, conceitos, tradições, vira letra morta, algo completamente obsoleto, quando não fica beirando o ridículo. Cor, idade, status social sequer são percebidos ou são considerados fatores de preciosa diversidade, de união, quando finalmente mundos outrora distantes se colocam lado a lado com serenidade, vontade de serem conhecidos, explorados em sua profundidade e beleza.
É como edificar uma construção harmoniosa, onde conta um bom projeto criativo; ótimos materiais, corretas técnicas de construção e qualidade da mão de obra dão sempre certo... aqui ou na China, em qualquer parte do cosmos. Assim se passa em nossa existência também.
O indispensável está no âmago do ser, no conteúdo e muito pouco no aspecto exterior, na forma, que com certeza, poderá ajudar mas não é -e nunca será- determinante em relacionamento algum. Sim, o "essencial é sempre invisível aos olhos".
Valerá a pena ter esperado cinco, dez anos ou mais? Sim. Mesmo tendo ficado sem dar e receber colo e carinho tanto tempo, cuidando do nosso jardim e esperando a pessoa certa, com certeza, compensa! Ao olharmos para trás percebemos o quanto mudamos interiormente e a quantidade de fardo já inútil que abandonamos no caminho, deixando espaço para aspectos que nos completam, que nos realizam como seres humanos e, vivenciando, enfim, o Amor e a Unidade...
Sim, o objetivo do desenvolvimento do casal em seu relacionamento afetivo é encontrar o caminho de volta para a unidade original, ou unicidade... Como é mais fácil avançar pela vida, superar bloqueios e imprevistos, dar um significado mais profundo, quando por fim a conexão mútua é suave, saudável, sincera; quanto pode ser superado, quanto pode ser aprendido, caminhando para a frente com apoio firme e amoroso. É indispensável, porém, prestar atenção acerca das emoções envolvidas, transmutando-as em sentimentos sublimes, em respeito absoluto e desapego. Não pode mais existir espaço para o controle, o ciúme, a possessividade. Camuflar, justificar estes aspectos nefastos como sendo consequência natural do amor nos faz retornar de vez ao mundo da ilusão, à Idade da Pedra.
É claro que o relacionamento amoroso bem-aventurado pode ser comparado a uma verdadeira obra de arte, inspirada pela criatividade latente que pede somente para ser extraída de nosso centro, guiada definitivamente, a cada momento, pela vibração do amor, pela compreensão da essência do outro e de si, pela procura fundamental, mormente por parte do homem, de um amplo entendimento do extraordinário universo feminino, cuja semente está fincada desde o começo dos tempos em sua alma, mas que precisa de cuidados permanentes, diários. Expandir nosso lado feminino (refiro-me obviamente aos homens) é tarefa que exige toda uma encarnação, mas cujos resultados -como um todo- estão acima de qualquer expectativa. Não há como atingir a felicidade plena num relacionamento sem contar com este fundamento tão extraordinário, limpando de vez clichês seculares que mostram o homem forte e intelectual e a mulher fraca e emocional, o homem ativo e racional e a mulher intuitiva e passiva. Se estas forem as informações que carregamos para os relacionamentos afetivos... vamos procurar dar logo uma guinada rápida e decisiva. A verdade é que todos estes aspectos supostamente masculinos ou femininos existem em cada pessoa, independente do sexo. Assim, sem alarde, com humildade e profundo agradecimento ao Universo, passo pra frente este singelo testemunho, na esperança de que possa inspirar alguns leitores a seguir adiante com fé, coragem e determinação, na melhora de seu sagrado espaço interior, condição essencial para um (definitivamente) mágico encontro de almas. Sim, é possível! (Muito obrigado, Li).
Lembre-se de que somos todos UM só... eu sou o outro Você! Seja feliz!
*************************************
Ci>> Beta, veja como são as coisas, falando sobre isso hoje, olha o texto que recebi... dedico este texto então a voce amiga!
Acreditar que há possibilidade de atrair alguém que queremos ou que entendemos que é "aquela pessoa" é um dom que poucos colocam em prática, mas TODOS os filhos de Deus têm... claro que a obtenção da atenção daquele a quem se deseja depende do nosso merecimento, mas eu tenho absoluta certeza de que, o que fazemos e plantamos hoje, amanhã será visivel aos olhos do Mestre, que nos encaminhará alguém exatamente assim, em forma de "colheita". Precisamos só prestar atenção nos sinais, olhar sempre para a frente, com fé e dedicação, e construir a cada dia um ser especial (nós mesmos) capaz de atrair o olhar de alguém especial, alguém que enxergue em nossa aura um ser diferente dos demais, uma luz diferente das que já viu até hoje, algo que a toque a ponto de mover mundos e fundos em busca de te-la a seu lado e compartilhar momentos com ela, por acreditar que esta é a pessoa certa. É essa certeza que me faz acreditar como Deus é maravilhoso e como o Universo conspira a favor do que queremos, e mais, como as leis da atração e ação e reação existem!

terça-feira, 16 de junho de 2009

Dueto da Lua e do Mar

Luar Submerso
Mar negro e reluzente, Ora sólido, ora profundo; Ora manso, ora arisco. Não sei, não sei se és pintura ou se és rabisco.
Mar, mar querido, que há em teus abismos? Se dor ou contentamento, Não sei, não sei se há júbilo ou tormento.
Mar longínquo, acaso entende? O brilho meu, que espelho te faz... A beleza à noite traz, E o amor que deveras sente, a distância não desfaz.
Mar, mar amigo, Perdoa esse brilho, que em ti borrão se faz. Se o dia dissipa a neblina e me afasta do teu cais; Mesmo em face do encanto noturno, a distância é algo mais; Mais forte que a luz que me mostras onde estais.
Mar imenso e distinto, Já não sigo meu instinto, de banhar a toda a Terra. Em outros mares e outras caravelas, outros navios e outras velas; é onde meu mistério se revela.
Mar, mar sofrido, da solidão fiel amigo, e pelas sombras, acolhido. E o frio silêncio do amor submergido, Faz calar meu canto em teu pranto contido.
Mar doce e sereno, Que o sentir tornou veneno. Perdoa se não trago teu alento. Tu, que sempre tão atento, não faz jus o sofrimento. Segue o dia, segue o vento; Segue a luz, segue o tempo; E cegue a dor; cegue o tormento.
Mar, mar divino, que tanto crê no destino, crê também no impensável infinito, que surpresas traga a teu auxilio. E te alegre o exílio, da âncora que levantas; princípio do retiro.
Mar negro e reluzente, Já não te infiltram os raios meus, e em tua sólida superfície se reflete o adeus. Um adeus na brisa fria, na noite que se finda, a te trazer um novo dia.
(Aline Erba - 12/04/2007)
.
.
.
Maré Luarenta
Luar belo e resplandecente, Ora marcante, ora ausente; ora firme, ora suave. Não sei se és música ou se és poesia.
Lua, lua majestosa, O que há em teu infinito céu? É certeza, ou é dúvida, Não sei se é a fé de uma sacerdotisa ou a sagacidade de uma cientista.
Lua distante, por acaso não vê? Que teu brilho brinca comigo... E a beleza da noite é você quem traz... Vai e inspire o rapaz, que diversos versos à sua amada faz.
Lua, lua amada, Perdoa a minha maré, que faz ondas pra te alcançar. E na terrivel busca por ti, vítimas se fazem por mim; Talvez se cada gota de mim se elevar aos céus, eu te alcance; E se eu der tudo de mim e você não me amar, como suspeito que não ama.
Lua misteriosa e linda, Eu não tenho mais ego, o de ser grande e imponente. Teu Luar suave, que o mais corajoso dos homens ruboriza! Me diminui, me afaga, como uma criança inocente.
Lua, lua acolhedora, Companheira da música e da poesia. Tem em ti um toque de tristeza, Sei que duvidas, sei que chora escondida.
Lua tocante e poetisa, Que diz “não poderia te amar”, Mas não diz que de fato não ama. Tu, que em mim faz nascer o sorrir, Vem me ver, escuta os sussuros do mar; Não segue o tempo que sempre erra; Caminha no horizonte; Vem comigo ver o sol se pôr…
Lua, lua inspiradora, Que não abandona seus versos, Não abandone também seu Mar querido, e desconfie do tempo, nosso inimigo... Que nos separa e enfrenta o Destino, Que tenta nos unir e vejo ser meu amigo
Luar belo e resplandecente, acabam os ventos que me elevam, e em tua superficie etérea posso ver a tristeza. Um sorriso do mar, “até logo lua querida”, na espera que se inicia, na dor de um longo dia.
(Rafael Rabelo - 19/07/2007)

******************************************

Ci>> uma obra de arte, Rafa, fiquei emocionada! Parabéns!!! Esta lenda pode nem parecer tão interessante para muitos, mas para quem a sente como algo muito comum nos dias de hoje (em que tantas coisas separam dois corações) é como uma história de botequim, de todos nós, de dia a dia! Pode não ser só a diferença, mas também a distância, o orgulho, a vida, o dia a dia enfim! Tantas são as razões para que Lua e Mar nunca fiquem juntos... e nem por isso deixarão de manter seu amor e respeito vivos, em um lugar bem guardadinho aqui no coração (na caixinha azul!)...

para se pensar...

"Aí um dia você toma um avião para Paris, a lazer ou a trabalho, em um vôo da Air France, em que a comida e a bebida têm a obrigação de oferecer a melhor experiência gastronômica de bordo do mundo, e o avião mergulha para a morte no meio do Oceano Atlântico. Sem que você perceba, ou possa fazer qualquer coisa a respeito, sua vida acabou.Numa bola de fogo ou nos 4 000 metros de água congelante abaixo de você naquele mar sem fim. Você que tinha acabado de conseguir dormir na poltrona ou de colocar os fones de ouvido para assistir ao primeiro filme da noite ou de saborear uma segunda taça de vinho tinto com o cobertorzinho do avião sobre os joelhos.Talvez você tenha tido tempo de ter a consciência do fim, de que tudo terminava ali. Talvez você nem tenha tido a chance de se dar conta disso. Fim.
Tudo que ia pela sua cabeça desaparece do mundo sem deixar vestígios, como se jamais tivesse existido. Seus planos de trocar de emprego ou de expandir os negócios. Seu amor imenso pelos filhos e sua tremenda incapacidade de expressar esse amor. Seu medo da velhice, suas preocupações em relação à aposentadoria. Sua insegurança em relação ao seu real talento ou quanto às chances de sobrevivência de suas competências nesse mundo que troca de regras a cada seis meses. Seu receio de que sua mulher, de cuja afeição você depende mais do que imagina, um dia lhe deixe. Ou pior: que permaneça com você infeliz, tendo deixado de amá-lo. Seus sonhos de trocar de casa, sua torcida para que seu time faça uma boa temporada, o tesão que você sente pela ascensorista com ar triste. Suas noites de insônia, essa sinusite que você está desenvolvendo, suas saudades do cigarro. Os planos de voltar à academia, a grande contabilidade (nem sempre com saldo positivo) dos amores e dos ódios que você angariou e destilou pela vida, as dezenas de pequenos problemas cotidianos que você tinha anotado na agenda para resolver assim que tivesse tempo. Bastou um segundo para que tudo isso fosse desligado. Para que todo esse universo pessoal que tantas vezes lhe pesou toneladas tenha se apagado. Como uma lâmpada que acaba e não volta a acender mais.
Fim."
(Revista Época)
Então, aproveite bem o seu dia. Extraia dele todos os bons sentimentos possíveis. Não deixe nada para depois. Diga o que tem pra dizer. Demonstre. Seja você mesmo. Não guarde lixo dentro de casa. Não cultive amarguras e sofrimentos. Prefira o sorriso. Dê risada de tudo, de si mesmo. Não adie alegrias nem contentamentos nem sabores bons.
Seja feliz! Hoje é "o" e "um" "PRESENTE"... Amanhã é uma ilusão.... Ontem é só uma lembrança...
(texto recebido da Fernandinha)
****************************************
Ci>> Não devemos nos apegar a tal fatalidade para fazermos tudo de uma única vez, e sem pensar nas consequencias, mas para darmos mais valor aos que estão ao nosso lado, aos que de certa forma nos sustentam pelo caminho que percorremos... tudo que é material é dispensável, e principalmente, destrutível. Também somos, a um toque do destino! Ninguém vale mais que ninguém, portanto olhar para o lado e fazer uma caridade pelo simples fato de que voce vai se sentir bem em ajudar alguém é MUUUUUUUUUUUITO mais do que fazer um favor esperando por algo no futuro... Dizer 'eu te amo' ao seu filho, ao seu companheiro (a), aos seus pais, irmãos, amigos, PERDOAR ou SE REDIMIR, aceitar o próximo, enfim, é muito mais do que mandar um cartão no dia do aniversário, ou flores, ou um presentinho que você as vezes nem viu direito o que é ou pensou em qual será a reação em recebe-lo... Você pode não ter esta oportunidade novamente... Preste atenção nos sinais!

ANALISTA OU GERENTE?

Um homem caminha pela rua em um pequenino povoado, quando de repente percebe bem acima de sua cabeça, um balão de ar quente.
No cesto desse balão, há um senhor que lhe acena desesperadamente. Com curiosidade, ele se aproxima o máximo possível e o ouve com atenção. Por fim, o piloto consegue fazer com que o balão baixe mais um pouco, e lhe grita:
- "Desculpe, senhor, mas poderia ajudar-me? Prometi a um amigo que me encontraria com ele às duas da tarde, porém já são duas e meia e não sei onde me encontro!".
O outro homem, com muita cortesia, respondeu:
- "Mas claro que posso ajudá-lo! Você se encontra em um balão de ar quente, flutuando a uns vinte metros acima da rua. Está a quarenta graus de latitude norte e a cinqüenta e oito graus de longitude oeste".
O balonista escuta com atenção e depois pergunta-lhe com um sorriso:
- "Amigo, você é um analista?"
- "Sim senhor, ao seu dispor! Como conseguiu adivinhar?"
- "Porque tudo o que você me disse está tecnicamente correto, porém esta informação me é totalmente inútil, pois continuo perdido".O analista fica calado por alguns segundos e finalmente pergunta ao balonista:
- "E você, não seria por acaso um gerente?"
- "Sim, sou gerente de uma empresa. Como descobriu?"
- "Ah, foi muito fácil! Veja só: você não sabe onde está e nem para onde vai. Fez uma promessa da qual não tem a mínima idéia de como irá cumprir e ainda por cima espera que outra pessoa resolva o seu problema. Continua exatamente tão perdido quanto antes de me perguntar. Porém agora, por um estranho motivo, a culpa passou a ser minha!”
********************************************
Ci>> Ahhh, o doce sabor da vingança!!!

segunda-feira, 15 de junho de 2009

O Pequeno Príncipe


“… E foi então que apareceu a raposa:
- Bom dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho que se voltou mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira…
- Quem és tu? perguntou o principezinho.Tu és bem bonita.
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o príncipe, estou tão triste…
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. Não me cativaram ainda.
- Ah! Desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- O que quer dizer cativar ?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro amigos, disse. Que quer dizer cativar?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa criar laços…
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás pra mim o único no mundo. E eu serei para ti a única no mundo… Mas a raposa voltou a sua idéia:
- Minha vida é monótona. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei o barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros me fazem entrar debaixo da terra. O teu me chamará para fora como música. E depois, olha! Vês, lá longe, o campo de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelo cor de ouro. E então serás maravilhoso quando me tiverdes cativado. O trigo que é dourado fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento do trigo…
A raposa então calou-se e considerou muito tempo o príncipe:
- Por favor, cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o príncipe, mas eu não tenho tempo. Tenho amigos a descobrir e mundos a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não tem tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres uma amiga, cativa-me! Os homens esqueceram a verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer…”
(O Pequeno Príncipe – Antoine de Saint – Exupéry)
*****************************************
Ci>>Realmente "...somos responsáveis por aqueles que cativamos!!!!..."

A Figura Do Príncipe Encantado Nos Contos Antigos E No Conto Moderno 'O Fantástico Mistério De Feiurinha'

::::::::::::::::::Uma analogia com o homem (real) contemporâneo::::::::::::::::::::

Os contos de fadas são naturalmente recheados de elementos mágicos como bruxas, fadas madrinhas, caçadores, lobos malvados, príncipes encantados e, claro, mocinhas bondosas que, em geral, são personagens principais.
Charles Perralt (1628-1703), Jacob Grimm e Wilhelm Grimm (entre 1785 e 1863), H.C. Andersen (1805-1875) e Jean de La Fontaine (1621/1692) são escritores de alguns desses contos de fadas, de séculos anteriores, cheios desses personagens que inspiram e nos deixam a fantasiar em pleno século XXI, quando as bruxas se apresentam materializadas nas desigualdades (e não personificadas, com uma verruga no nariz), as fadas aquelas donas de nossos lares (e não com poderosas varinhas de condão) e os príncipes modernos... príncipes modernos?!
Era uma vez um príncipe encantado que, montado em um lindo cavalo branco, com as mais cheirosas e belas flores do bosque nas mãos, bateu à sua porta, tascou-lhe um doce beijo (para salvá-lhe das maldições do mundo), pediu-lhe em casamento e propôs-lhe felicidade eterna.
Esse príncipe que povoa o imaginário infanto-juvenil existe ou é privativo aos antigos contos de fadas? No auge da contemporaneidade esse conto parece ironia?
Em O Fantástico Mistério de Feiurinha, escrito em 1986, Pedro Bandeira, autor moderno, re-conta-nos as mais belas histórias dos contos de fadas, a partir de onde cada um desses contos termina. O autor desconstrói a imagem de príncipe encantado do mundo maravilhoso e coloca a figura de Príncipes Encantados como filhos, membros de uma família cujo sobrenome é Encantado, na qual todos estão casados com as belas e bondosas mocinhas dos contos de fadas e vivendo felizes para sempre.
Uma das personagens presentes na obra é Chapeuzinho-Vermelho que, ainda solteira, procura por um Príncipe Encantado mesmo sabendo que não o encontrará:
"... A essa altura não existe mais nenhum Príncipe Encantado solteiro." (Dona Branca Encantado).
(Bandeira, 1986 p. 21)
Os príncipes, nessa história, estão mais próximos da figura do homem moderno com os quais as mulheres de nossa época se relacionam. Afinal, esses maridos que fizeram das mocinhas dos contos de fadas modernos princesas são sempre ausentes, não trazem flores e vivem a caçar:
- O Príncipe está no castelo? (Chaupéuzinho-Vermelho)
- O Príncipe? Que Príncipe? (Dona Branca Encantado)
- O Príncipe Encantado. Seu marido. (Chapeuzinho-Vermelho)
- Ah, não está não. Foi à caça. (Dona Branca Encantado)
(Bandeira, 1986 p.19)
Muito próximo da realidade a que assistimos e de que participamos, o homem real e contemporâneo é sempre ausente de casa, não colhe flores, não abre porta de carro, enfim, é um príncipe de contos modernos.
Chapeuzinho-Vermelho chama a atenção para um aspecto que pode ser aplicado também à contemporaneidade:
- Os Príncipes não adianta chamar. Estão todos gordos e passam a vida caçando.
(Bandeira,1986 p.22)
Quem ousaria dizer que depois de casar-se o homem permanece com um corpo de príncipe solteiro? Assim como no conto de Feiurinha, em que os Príncipes aparecem casados, uma nova característica é adquirida pelo homem contemporâneo: excesso de tecido adiposo. Embora a mulher fique grávida, o homem é quem engorda. Adquire hábitos que o mantém distante da família, como uma cervejinha ou uma partida de futebol com os amigos, fica ciumento, deixa sua esposa com dor de cabeça e ainda esquece a chave da casa como nesse depoimento de Rapunzel:
- Pois é por causa dele que eu estou com essa dor de cabeça. Toda noite ele esquece a chave do castelo e cisma de entrar em casa subindo pelas minhas tranças. Não agüento mais de dor de cabeça! O Príncipe já não é tão magrinho como antigamente...
-Mais o pior é o ciúme dele. Vive brigando comigo porque diz que eu ando jogando as tranças para todo mundo...
(Bandeira, 1986 p.29)
Mulheres modernas não podem mais sonhar com príncipes encantados, pois assim como a história Feiurinha nos conta, eles deixaram de existir. Não porque os homens da família Encantado estão casados, mas porque já não existe mulher disposta a querer um príncipe encantado ou mesmo um homem moderno que a busque pacientemente, calçando o sapatinho delicado de cristal em todas as mulheres até encontrá-la, ou ainda que espere seus cabelos crescerem para poder entrar em sua torre subindo por suas longas tranças. O atual ritmo de vida acelerou a mulher moderna, acelerou o amor.
A modernidade tem sido cruel com as mulheres, que se permitem escravizar por uma mídia perversa que impõe determinados padrões de beleza. Estão adquirindo a síndrome da madrasta de Branca de Neve, repetindo todos os dias as palavras ditas pela madrasta ao espelho:
-Espelho ,espelho meu, Sai do espaço profundo
E vem dizer se há no mundo
Mulher mais bela do que eu...
(A Branca de Neve)
As mulheres estão belas, livres e com direitos (quase) iguais aos dos homens. Têm carro, ganham bem e por isso dividem as contas a pagar. Não querem flores, pois consideram-nas descartáveis. Caixas de bombons as engordam, por isso desprezam-nas. Desse modo repelem os príncipes encantados de contos e aproximam-se de homens com perfis parecidos com o do caçador generoso (que aparece para salvar Chapeuzinho-Vermelho do malvado lobo que a persegue em sua história), que são valentes, porém sujos e menos favorecidos financeira e intelectualmente, tipo de príncipe encantado ditado também pela mídia em novelas atuais. No conto moderno Feiurinha, Chapeuzinho-Vermelho destaca sua vontade de casar-se com o caçador:
-É.... os únicos decididos são os caçadores. Eu devia ter casado com o Caçador que matou o Lobo...
(Bandeira, 1986 p.21)
O perfil príncipe encantado: macho, bom desenvolvimento intelectual, bonito, cavalheiro e com um beijo encantado não é mais a preferência feminina, novelas apontam os homens cafajestes, sujos e desprovidos de intelecto (sem encantos) sendo os mais amados e desejados por mulheres. As mudanças contemporâneas fizeram com que as mulheres abandonassem a postura "cinderela" e se tornassem "belas-feras" invertendo-se valores. As mulheres também se tornaram "don-juan".
Hoje, ainda, levanta-se a bandeira de uma série de ideais de igualdade. Briga-se pelo direito de poder ser homossexual, pelos direitos de deficientes, negros e mulheres, mas já não se permite aos homens ser delicados, compreensivos, inteligentes, amáveis e bonitos, deixaram os príncipes encantados e encantadores cada vez mais acuados.
Precisa-se de Cinderelas, Brancas de Neve, Rapunzéis, Belas Adormecidas e outras tantas mocinhas frágeis, delicadas e desprotegidas para que os homens possam voltar a ser príncipes encantados como nas histórias antigas, mas à maneira moderna: que abram porta de carro, arrastem cadeira para que a mulher possa assentar-se, paguem contas, mandem flores, façam surpresas, dêem bombons, enfim que estejam presentes.

Referências
BANDEIRA, Pedro. O Fantástico Mistério de Feiurinha. Ed. FTD. 21 edição.
Alguns contos de fadas clássicos como Chapeuzinho Vermelho, A Branca de Neve foram consultados porém esse livros não trazem identificação, tornando impossível fazer a referência completa.
(Fonte: Webartigos.com Por Nayla Rodrighero Lima Publicado 21/09/2008)
*****************************************
Ci>> EPA, EPA, EPA E EPA!!!! eu sou uma donzela a espera do principe encantado, que vai me tirar da torre, e cuidar de mim, e me amar, e ser educado, gentil e atencioso, e que seja inteligente, que tenha pureza de sentimentos, que seja bom pai, bom filho, bom marido, bom amigo, bom tudo... (tudo mesmo)... que puxe a cadeira para que eu me sente, e abra a porta do carro para que eu possa entrar, e sair... que me dê a mão para que eu me apóie... e me dê seus ombros para que eu descanse, ou simplesmente recoste para um afago... que coloque minhas mãos entre as dele, para esquentá-las em um dia frio... tá, com um toque de modernidade, ele não precisa vir em um cavalo branco, não precisa se vestir como um principe, mas que se vista como um homem sóbrio, que seja culto, que seja alguém com quem, quando acabarem os momentos de fogo, apagados pela idade, sobrem momentos de risadas e boas conversas, companheirismo... eu quero sim um principe que me ouça, me veja, me admire todos os dias, e eu realmente acredito que ele exista. Não somos duras, fortes e inquebráveis por opção... somos guerreiras por necessidade de mais principes no mercado, capazes de nos deixar aflorar a donzela que há dentro de nós. O que nos tornou tão "autruístas" e "independentes" foi justamente a falta destes seres encantados pelo amor... E se o principe que espero não for da minha realidade? Eu faço com que seja! Trago ele para perto de mim através de gestos calculados, préviamente estudados, e aos poucos mostro que o lugar dele é a meu lado... porque quem decide que tipo de principe quer ter sou Eu!!! Se já achei, só falta mostrar a ele como será doce a vida ao meu ladinho... se não achei, continuo procurando, sem abrir mão do que é importante para mim encontrar nele!!! nem uma exceção, nadinha de nada!!!! Um Marc Darcy prá mim tá ótimo!

Não se conquista o amor

"Se te amo, te desprezo

Não posso querer-te bem ou idealizar-te

não posso sonhar a ti ou escrever a ti

Se te amo, não me entrego

Não serei teu. Na verdade, nem te notarei

Não comoverão tuas lágrimas ou súplicas (Pic: "Brinde" - MGBON)

Se te amo, te esqueço

Não é sendo teu que seras minha

Não terei teu coração, entregando o meu

Se te amo, não te desejo

só poderei ter-te se tu te entregas

Não te conquisto, te aceito

Só não te desejando, terei-te

Não se tem jamais o que se sonha ter

Caso contrario, se dou-me, serei eu teu

E não tu minha.

Terei-te tão somente em imagem.

Tão somente em sonho

Somente serás digna do meu amor quando se entregar a mim.

Só amarei se me amar."

(Rafael Rabelo - do blog "o Trovador")

************************************************

Ci>> o ser humano é um bicho complicado de entender: ama quando não é correspondido, quer quando não se pode ter, busca quando está difícil de alcançar. Se está perto, disponível, fácil, torna-se pouco interessante, algo resistível! Mas tudo que envolve dificuldade também só é interessante até o momento que se conquista, depois novos objetivos tornam-se prioridade... o equilíbrio é a busca todos os dias da conquista do mesmo sonho, e a consciência de que nada é de fato, conquistado efetivamente, tudo pode ser perdido em uma questão de segundos! Há que se construir dia a dia o alicerce do que se quer, e seus vários tijolinhos empilhados, e aí sim, temos algo concretamente nosso... porque tudo que é fugaz, dura pouco, e perde-se no tempo!

O Pavão

Eu considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores; é um luxo imperial. Mas andei lendo livros, e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. Não há pigmentos. O que há são minúsculas bolhas d'água em que a luz se fragmenta, como em um prisma. O pavão é um arco-íris de plumas. Eu considerei que este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos. De água e luz ele faz seu esplendor; seu grande mistério é a simplicidade.
Considerei, por fim, que assim é o amor, oh! minha amada; de tudo que ele suscita e esplende e estremece e delira em mim existem apenas meus olhos recebendo a luz de teu olhar. Ele me cobre de glórias e me faz magnífico.
(Rubem Braga, considerado por muitos o maior cronista brasileiro; texto publicado em 1958, extraído do livro “Ai de ti, Copacabana” - do site do Primeiro Programa)
***********************************************
Ci>> a Beleza de alguém, de algum fato, de algum gesto ou comportamento está nas coisas simples, no que há de mais simples e menos "enfeitado" digamos assim. Porque na simplicidade de cada um encontramos exatamente a beleza verdadeira, aquela que brilha à luz dos olhos. E tudo o que parece estar sob "enfeites" busca mascarar aquilo que não é real, e que portanto, não tem beleza alguma... se houvesse, não necessitaria adornos para se mostrar! Tenham uma semana plena amigos! Bjs.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

(...)

Namorar é preparar-se para a existência; é invadir e sucumbir, enfim é permitir a permuta do eu para o outrem.

Não é apreciar o invólucro mas participar de todo o conjunto. Como também não é ficar exaltando o sentimento ao mundo; ditando regras, estabelecendo normas e modificando atributos.

Gasta no externo toda a energia que acaba faltando na hora intima. No seu dia bem cairia deslizar a mão suavemente em sua companhia; e na ausência de membros, seja criativo use a boca, o pé, o cotovelo, tenha em mente que o importante é o afago, o chamego e a carícia.

Então Rapazes e Mocinhas, (dizer que namoro só ocorre entre indivíduos de sexo diferente, é pra lá de tolo), nessa data privilegie sua contrapartida, o retorno é garantido e a satisfação imediata.

E para você que é esperto mantenha essa disciplina todos os dias.

CãRiùá - TaTaRaNa

**********************************************************

Ci>> Meu desejo para todos os Namorados!!!!!! E Para os cupidos, uma prece e um aviso: OLHA EU AQUI!!!! rsrsrsrsrsrsrs