segunda-feira, 22 de junho de 2009

COMO USUFRUIR DAS PRÓPRIAS EMOÇÕES

Para usufruir totalmente de alguma coisa, qualquer coisa, é preciso primeiro conhecer e entender o mecanismo desta tal coisa.
Tenho a forte impressão que os manuais que acompanham todos os eletrodomésticos hoje em dia vêm com esta intenção. Quanto mais se conhece a respeito de algo, mais e melhores vantagens podemos obter. Com as emoções é a mesmíssima história, então precisamos prestar atenção e nomear estas emoções a fim de usufruirmos de todo o nosso potencial emocional. Trabalhar com as emoções assim que as identificamos; este pode ser um excelente exercício, e um aprendizado sobre nossa humanidade. Um exemplo para facilitar - em outra área que não a das emoções, quando nos damos conta do que está nos amolando e nos deixando irritados é simplesmente fome ou o sapato apertado, fica bem mais fácil resolver a questão.

O mesmo com as fortes ou até com as sutis emoções, se posso dar um nome para aquilo que estou sentindo como, por exemplo, raiva - mágoa ou mesmo a famigerada rejeição, já posso trabalhar com ela, na verdade posso aprender com e através desta emoção, deste sentimento, que a partir de agora tem um nome.

Importante dizer:- Que agora eu dei um nome, para a minha emoção! Pois as outras pessoas podem olhar para mim e pensar que estou com ódio, mas eu sei que o que sinto é, por exemplo, mágoa.

Pensar no que se esta sentindo, no que se esta pensando, é vital para que possamos conviver da melhor forma conosco; trabalhar a frustração do momento pode ser uma grande lição e para toda a vida. Ter consciência de estarmos sentindo raiva neste determinado momento pode nos dar tempo para pensar ao invés de simplesmente reagirmos agressivamente.

Se pudermos ter consciência de que mais um pouco vou explodir o barril de pólvora que me tornei, posso sair de perto do fogo, não é?

Extravasar as emoções é usufruir delas por inteiro. Como fazer isso num acesso de raiva sem machucar ou gritar com alguém? Podemos socar a almofada, morder o travesso, ou simplesmente sair de perto, de quem me causa tanto mal. E acreditem existem pessoas que fazem isso, com muita rapidez; e conseguem despertar o pior que existe em nós.

O corpo reage sempre a cada emoção. Quem esta sem prática para perceber o que esta sentindo a cada instante pode começar se percebendo pelo próprio corpo, que fala e fala muito! Às vezes é uma aceleração cardíaca em outro instante, é um nó no estômago ou o ato de engolir em seco, uma dor nas costas, um torcicolo e muitas outras reações corporais que podem surgir acompanhando uma emoção.

A cada instante podemos notar nossas mudanças através do nosso físico. Isso é treino, e quanto mais nós pararmos para identificar nossas emoções através das reações corporais, mais fácil se tornará a identificação e das emoções subjacentes. Porém o melhor deste exercício é aprender sobre nós mesmos. Desenvolver um olhar mais detalhado entender o que os anseios, frustrações, impossibilidades, tristezas e todas as demais situações humanas que o cotidiano nos traz; é poder trabalhar com as dores emocionais que sentir tudo isso nos causa, e então vivermos melhor.

Existem inúmeras Essências DÁgua que podem ajudar em cada uma das diferentes sensações emocionais e físicas sentidas. Você pode identificá-las ao visitar o site:- http://www.essenciasdagua.com/ - escolher e montar uma fórmula especial para aquela sensação física que desperta juntinho com uma determinada emoção, e experimentar o conforto que estar equilibrado física, mental, emocional e espiritualmente nos dá.

Em na Paz poder usufruir das próprias emoções a cada momento na vida!
(por Cássia Marina Moreira - dagua@essenciasdagua.com)

****************************************
Ci>> Faz parte do processo de reforma íntima o auto-conhecimento, quando realmente aprendemos qual o significado de cada uma de nossas ações, e principalmente das nossas reações. E quando isso acontece, aprendemos a controlá-las a nosso favor, permitindo evitar maiores estragos ou até proporcionar algum bom retorno de tal situação, sempre a nosso favor. (Acho que vou passar essa fase, e estudar psicologia, estou ficando boa nisso hein!) A busca de nós mesmos é bonito de falar, é legal ler em livros de auto-ajuda, mas são poucas as pessoas que têm a coragem suficiente para romper com o que lhe faz mal e buscar o entendimento do momento para saber lidar com um próximo conflito, SAIR DA ZONA DE CONFORTO E BUSCAR PELO QUE REALMENTE ACREDITA SER O QUE LHE SERÁ MELHOR, ARRISCAR! Porque assumir nossos pontos fracos é um exercício muito mais que difícil, requer muito mais força e determinação do que parece. E ao contrário do que se diz, é sim possível fazê-lo sem ajuda profissional, basta que queiramos mesmo esta mudança...

Nenhum comentário:

Postar um comentário