quarta-feira, 10 de junho de 2009

A Poesia contra o Sexo

É tão mais importante um corpo bonito que tornar-se-á decrépto e sem vida um dia? É tão mais importante do que minhas palavras imortais? É tão preferivel essa vontade irracional, esse desejo absurdo e sem sentido que sentem? Tão maior que eu, são os pecados?
Por mais melodiosas que sejam as frases elas não vencem o toque do corpo. Por mais lustradas que estejam, um charmoso sedutor faz com que elas sejam esquecidas. Não importa quantos milhões de versos eu faça, nenhum deles tocará o seio de uma mulher.
Os loucos, os absurdos, estes são melhores que meus poemas. Seduzem mais, pois são mais misteriosos, pois são livres e distantes como Deus, ou o Diabo. E não importa que as façam sofrer, é mais belo e faz mais sentido que ajam assim, embora no fundo ainda achem as moças ingênuas que por amá-las, os cafajestes curvar-se-ão, ignorando toda a lógica e sentido, o que eu admito que se acontecesse, se tal amor surgisse diante de mim ignorando toda a lei natural, eu não ousaria ser um empecilho. Nenhum verso meu chegará aos pés dessa possibilidade de milagre.
A era dos poetas romanticos acabou, estou portanto, fadado ao esquecimento e à dor. E depois, à insensibilidade, que já sinto querer tomar posse de um coração deserto e árido.
O que me conforta é a possibilidade de que se eu me tornar tal fera insensivel, tal monstro, um dia surja diante de mim uma bela que me salve antes que a última pétala de rosa caia ao chão.
(Rafael Rabelo do blog "o Trovador")
************************************
Ci>> Rafa, que interessante seu texto! Mas descordo de você ao falar do universo poético masculino, sendo nós as donzelas, as malvadas da história! Nós também por vezes nos deparamos com seres de outro planeta, que ainda que doemos todo o nosso amor, e ainda que façamos tudo para sustentarmos sua felicidade, nos trocam por corpos, por momentos, por status... também nós somos poetisas fadadas a regalar aos seus "amores" um amor que, pode por ventura, não ser correspondido, ou pior, deixado por uma aventura qualquer que não dura mais que um mês... também já estou quase sem pétalas, meu amigo! bjs...

Nenhum comentário:

Postar um comentário