quarta-feira, 10 de junho de 2009

"reflexões de um caminhante na madrugada"(1)


Gente do meu tipo ao acordar dá uma oportunidade a preguiça, caso queira permanecer ao seu lado. Não "pula" da cama, levanta. E observa tudo ao redor.

Gente do meu tipo inala o ar assim que desperta, não importando com a qualidade. Já que serve para arejar, o dióxido, o cigarro,e os vapores alojados por um perfume barato.

Gente do meu tipo gosta de janela destrancada, de porta aberta; não olha, não avalia, não observa. Contempla. Não reclama por que sabe que não adianta; mas exige, luta, confronta e enfrenta.

Esse meu tipo de gente cerra os olhos a cada argumentação, e reflete sobre suas conseqüências. Não encara outrem como objeto e sua única preocupação é com a essência.

Essa gente do meu tipo; nunca desmorona, nem esmorece ou fica aflita e mantêm a sensatez em qualquer conflito. Não arqueja ou balbucia. Fala e respira, em qualquer situação. Embora pareça lúdico, improvável ou absurdo.

Esta é minha visão de mundo. E este estaria melhor se toda gente tivesse o seu tipo.

CãRiùá -TaTaRaNa

(cariua@cariua.com - http://www.cariua.com1/)

Notas do autor: (1) Este trecho foi extraído de "Amantes da Neblina"que vou re-lançar em novembro aqui ou além-mar. O retirei porque não condizia com o restante do texto. Mas tem vida própria.

**************************************************

Ci>> Me identifico com os poemas deste autor, porque ele não escreve, mas DESCREVE sentimentos, emoções, primas de uma forma muito objetiva e real. Este foi mais um texto que ele escreveu e que de certa forma, principalmente na atual conjuntura, me trouxe exatamente a explicação do que tenho visto e estou passando em minha vida... Não mesmo, não fecho os olhos e sigo o fluxo... quem nada a favor da maré é peixe... MORTO! E se tudo isso está acontecendo é justamente porque não nado a favor da maré porque "seu mestre mandou". Enfrento, luto, critico e contribuo, e acho que apesar dos pesares, ainda vale muito a pena. Se fosse para ser igual a todo mundo, eu não seria a Cintia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário