domingo, 9 de agosto de 2009

Mudando de rota :: Elisabeth Cavalcante ::


Muitas pessoas se espantam quando, durante uma consulta, ao trazerem dificuldades para as quais buscam uma solução, eu digo a elas que suas próprias ações estão criando a maioria de seus problemas.
Esta é uma reação natural, pois de fato, é difícil aceitar que nossa mente cria a maior parte das limitações que enfrentamos na vida. Muito mais cômodo é colocar a responsabilidade por nossos problemas no destino ou em pessoas nas quais enxergamos a causa raiz de todos os nossos dissabores. No entanto, aceitar esta verdade é o caminho mais rápido para que comecemos a mudar a rota de nossa caminhada, para uma direção onde tudo flua de modo mais harmonioso e feliz. Embora existam circunstâncias que independam de nossa iniciativa, o que faz toda a diferença é reconhecer e aceitar este fato serenamente, abandonando a ansiedade e o sentimento de inconformismo por ver nossas expectativas frustradas. Aprender a lidar com o sentimento de contrariedade, quando a vida não atende nossos desejos com a rapidez que gostaríamos, é uma das mais importantes lições que precisamos aprender, se quisermos alcançar um estado de consciência mais evoluído e maduro. Esta maturidade independe da idade cronológica, pois tem a ver com a capacidade de observar a si mesmo e as próprias reações, a cada acontecimento que a vida apresente. Se conseguirmos aprender a nos mover em harmonia com as circunstâncias de cada momento, maior será o equilíbrio e a serenidade que alcançaremos.
[...]
Depende da sua mente. Se você é positivo, então tudo se torna positivo. Se você é negativo, então tudo se torna negativo, tudo se torna amargo. Então, por favor, lembre-se disto - não somente com relação a barulhos, mas a respeito de tudo na vida: se você sente que algo negativo existe ao seu redor, vá e encontre a causa no seu interior. É você. Você deve estar esperando algo, você deve estar desejando algo, você deve estar criando algumas condições. A existência não pode ser forçada a seguir de acordo com você. Ela flui a seu próprio modo. Se você puder fluir com ela, você será positivo. Se você lutar com ela, você se tornará negativo e todas as coisas, todo o cosmos ao seu redor, se tornará negativo. É apenas como uma pessoa que está tentando flutuar rio acima: então, a corrente é negativa. Se você está tentando flutuar contra a corrente num rio, então, o rio parecerá negativo e você sentirá que o rio está combatendo você - que o rio está empurrando você para baixo.... O rio está completamente inconsciente de você, felizmente inconsciente. E é bom, de outro modo o rio iria para um hospício. O rio não está lutando com você: você está lutando com o rio. Você está tentando flutuar corrente acima.... A mente está sempre tentando ir contra a corrente, mover-se contra a corrente. Lutando com tudo, você cria um mundo negativo ao seu redor. Obviamente, isto tem que acontecer. O mundo não está contra você. Por que você não está com o mundo, você o sente contra você. Flua com a corrente, e então o rio ajudará você a flutuar. Então sua energia não será necessária. O rio se tornará um bote: ele levará você. Você não perderá nenhuma energia flutuando com a corrente porque uma vez que você flutue com a corrente você terá aceito o rio, a corrente, o fluir, a direção, tudo. Então, você terá se tornado positivo para ele. Quando você é positivo, o rio é positivo para você.

(OSHO - em Vigyan Bhairav Tantra)
***************************************************
Ci>> Como dizem os médicos, admitir as próprias doenças ajuda na busca pela cura... assim como admitir os próprios erros é, sem dúvida, uma oportunidade de recomeço... nem sempre o que se apresenta como "nossa verdade" é realmente...

Nenhum comentário:

Postar um comentário