sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

A Amizade

Sobre a amizade...

Públicado em site português, sem publicação do autor. Vale a reflexão... (do blog da Renata – Primeiro Programa)


A amizade


                                                                       Divulgação/Arquivo

http://lipe10.files.wordpress.com/2009/07/1220051782_amigos1.jpg


São muito abundantes às referências à traição presente na amizade. Há muitas afirmações denunciando os falsos amigos:

Sustento como um facto que se todos os homens soubessem o que os outros dizem deles, não haveria mais do que quatro amigos no mundo.
Pascal

Os nossos amigos são o inimigo.
Pierre-Jean de Béranger


Mas será que a amizade é assim tão traiçoeira e a realidade tão negativa quanto a retratada por um Pascal ou por um Béranger?

As traições e os falsos amigos existem, obviamente. Não é isso que está em causa. Mas temos que reconhecer igualmente que há muitas razões que podem acabar ou diminuir uma amizade, sem que nisso haja propriamente traição. Nem sempre as palavras de S. Jerónimo a propósito do fim da amizade - «A amizade que pode cessar nunca foi substancial» – são verdadeiras

Mudamos. As nossas ideias, os nossos gostos, os nossos interesses mudam. E isso pode também levar a que hajam amizades que se percam. As palavras de Pascal, sobre o amor, e o seu fim, também se podem aplicar à amizade: 

Ele não ama mais a pessoa que amou há dez anos atrás. Acredito piamente nisso. Ela não é a mesma, e tão pouco ele o é. Ele era jovem, e ela também. (…) Talvez ele ainda a pudesse amar, se ela fosse como antes.

Por outro lado, há também a incompatibilidade entre os nossos espaços familiares e a amizade. Quando os primeiros crescem, a amizade, ou certas amizades, podem ser profundamente atingidas. É, no fim de contas, o que diz Aristóteles a propósito da amizade e da multiplicação da mesma:

Aquele que é amigo de toda a gente, não é amigo de ninguém.

É uma fatalidade. Não podemos multiplicar as nossas amizades. Nem podemos multiplicar os nossos amores. O tempo de que dispomos é escasso para alimentar muitas amizades e amores. O que dedicamos a uns, falta aos outros, inviabiliza-os.

É frequente na vida adulta: o número de amigos e as amizades cresce quando o amor à escala da família falha ou está em crise. Ou vice-versa. Ou seja: não são os nossas fraquezas ou o nosso lado mau e obscuro a liquidar as nossas amizades. É a vida, é a família. 


 

Citações:

Uma grande amizade nunca é tranquila.

(Marquesa de Sévigné, 1626-1696, escritora francesa, Citações)  


A amizade é incompatível com a adulação, a lisonja, e a baixa complacência.

(Cícero, 106-43 a. C., ., filósofo e político romano, Da amizade)

 
Como o amor, a amizade funda-se no respeito e acaba com a manobra.

(G. Berger, 1896-1960, filósofo francês, Atti del XII Congresso di filosofia, Venezia, 1958) 


Não têm alma de amigos, mas apenas o seu nome, aqueles cuja amizade não resiste à desgraça da nossa sorte.

(Eurípedes, 480-406 a. C., poeta grego, Oreste)   


O infortúnio mostra aqueles que não realmente nossos amigos.

(Aristóteles, 384-322 a.C., filósofo grego, Ética a Nicómaco)   


A amizade é mais perigosa que o ódio dos fracos.

(Marquês de Vauvenargues, 1715-1747, moralista e ensaísta francês, Réflexions et maximes) 


Não penso que os amigos sejam genuinamente as pessoas de que mais gostamos, mas tão só as pessoas com quem primeiro travámos conhecimento.

(Peter Ustinov, actor e escritor russo, Dear Me) 


No fim, recordarás não as palavras dos teus inimigos, mas o silêncio dos teus amigos.

(Atribuído a Martin Luther King, Jr., 1929-1968, activista americano dos direitos dos negros)

 

Humor sobre a Amizade


Quando os nossos negócios prosperam, os nossos amigos são verdadeiros, e a nossa felicidade está segura.

(Ambrose Bierce, 1842-1914, escritor americano, The Cynic’s Word Book) 

 
Há três grandes amigos, na vida: a velha esposa, o velho cão, e dinheiro à mão.

(Benjamin Franklin, 1706-1790, físico, ensaísta e político norte-americano, Poor Richard's Almanack)  


Para encontrar um amigo temos que fechar um dos olhos. Para mantê-lo, os dois.

(Norman Douglas, 1868-1952, escritor escocês, Almanac)


 

Blog: Blog da Renata

 

Acreditar

Acreditar

 

Em matéria de comunicação não esqueça: a primeira pessoa que deve acreditar no que você diz é você mesmo. Se ninguém compra suas idéias ou seus produtos, é melhor rever essas idéias ou procurar outros produtos para vender. E lembre-se – sempre – dessa regrinha básica : você ganhar não significa que alguém tem que perder.

Na plenitude da felicidade cada dia é uma vida inteira”

(Goethe)

 

Desculpe-me a intromissão na sua vida assim tão diretamente. Não sei se é o caso de entrar nesse assunto agora. Mas como, talvez, você nem esteja percebendo, na correria e na rotina dura do seu dia a dia, vou tomando a liberdade de lembrar: será que você não está se esquecendo de alguém muito especial, na correria do dia a dia?


Sabe quem está precisando de uma atenção especial de sua parte?

Sabe que é essa pessoa?

Ela está olhando para a tela agora.

É... você mesmo!


Você está de bem com você ou a comunicação interna anda complicada, em conflito entre intenções e ações? Você quer fazer uma coisa, faz outra. Quer dizer algo importante para alguém, e acaba contando uma piada. Ou pior, quer falar de paz e soluções e acaba entrando em guerra e arrumando novos problemas.


Você está dando a devida atenção para os seus sentimentos?  

Aproveite esta nova manhã, hora sagrada do seu dia, em que tudo está limpo e claro, e arrume a casa do seu espírito ou o espírito da casa.

Olhe para dentro de si mesmo e acredite: você é uma pessoa única, especial, e merece atenção e respeito.


Por isso neste dia que está começando, respeite-se.

Dê valor aos seus sentimentos.

Acorde a sua confiança e a sua fé.

Valorize o seu talento e a sua criatividade.

A sua verdade é que vai fazer você brilhar.

E com a força do seu caráter, hoje, você ajusta a sua vida aos seus sonhos.

A partir deste ponto você cria a harmonia que vai fazer de você uma pessoa mais feliz.

Para si mesmo.

E para os outros.


Bom dia!

 

(Do blog do Irineu  Toledo – Primeiro Programa)

***************************************************

Ci>> é quando todos parecem desconfiar que somos capazes que temos a capacidade de chegar ainda mais longe. Desculpem o trocadilho, mas não pude deixar de coloca-lo aqui... faz parte dos outros desconfiar que PODEMOS, mas SIM, PODEMOS... Então faz parte de nós mesmos mostrar não aos outros, mas a nós mesmos o quanto PODEMOS... Posso, e trabalho todos os dias para isso... não tenho duvidas de que há um Deus Lá em Cima, que vê nossos esforços e nos guia para o melhor sempre, quando tudo parece estar perdido... este é o ponto do recomeço. Como diz um amigo meu, quando não tem mais para onde cair, é por que o fundo do poço chegou... hora de começar a subir denovo!

 

TOQUE DE LUZ

Coragem e entusiasmo
Verifique se o avião da sua mente está limpo, claro e sempre pronto para voar. Ele ganha os ares quando você tem a consciência de que Deus é seu. O combustível utilizado nesse vôo é o conhecimento misturado à meditação. Uma de suas asas é a coragem; a outra, o entusiasmo. Sente-se mentalmente ao lado de Deus e voe pelo mundo, enviando raios poderosos a todos.


(Toque Brahma Kumaris)

 

Mudanças

 

Estamos sempre mudando, nada é exatamente

igual ao que foi a um segundo atrás.

 

Estamos sempre partindo

e sempre chegando em algum lugar.

 

Nossa vida é uma estrada,

que pode ser longa ou curta

não sabemos onde tem curvas

e nem tão pouco onde vamos chegar.

 

Olhar atrás, ver o que ficou

às vezes nos custa uma lágrima,

um aperto no coração, da mesma forma

que olhamos pra frente e sabemos

que temos que seguir sem saber

o que vamos encontrar.

 

Nossa jornada não tem fim

e quando pensamos que terminou

ela apenas parou para tomarmos fôlego

e continuar aqui ou em outra dimensão.

 

Estamos sempre lutando por novas conquistas,

sempre conhecendo pessoas

que são muito diferentes umas das outras.

 

Muitas nada acrescentam,

outras nos magoam e nos fazem sofrer,

mas tem aquelas que nunca queremos esquecer.

 

É como o sol em dias de chuva

que nem precisa aparecer,

pois sabemos que ele existe

e onde podemos encontrá-lo.

 

Assim são os verdadeiros amigos,

sabemos que com eles sempre poderemos contar.

 

Desejamos sempre tê-los ao nosso lado,

nos trazem felicidades e alegrias.

 

Mas acredite, essas pessoas que não nos agradam

também tem seu devido valor,

pois são elas que nos impulsionam

para que possamos buscar novos horizontes

e quando partimos aí somos reconhecidos,

e sentem nossa falta.

 

O importante em nossa vida, é nunca esquecer

de todas as pessoas que por nós passaram,

porque por um motivo ou por outro

fizeram parte de nossos dias..

 

******************************************************

Ci>> “nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia... tudo passa tudo sempre passará! E a vida vem em ondas como o mar, num indo e vindo infinito! Pq tudo o que se vê não é, igual ao que a gente viu há um segundo, tudo muda o tempo todo no mundo! E não adianta fugir, nem mentir prá si mesmo agora, há tanta vida lá fora... aqui dentro e sempre, como uma onda no mar!...” (Lulu Santos)

 

É assim! Fora as curvas, tudo reto!!! rs

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O princípio 90/10

Os 10% da vida estão relacionados com o que se passa com você, os outros 90% da vida estão relacionados com a forma como você reage ao que se passa com você.

Realmente, nós não temos controle sobre 10% do que nos sucede. Não podemos evitar que o carro enguice, que o avião atrase, que o semáforo fique no vermelho. Mas, você é quem determinará os outros 90%. Com sua reação.

Exemplo: você está tomando o café da manhã com sua família. Sua filha, ao pegar a xícara, deixa o café cair na sua camisa branca de trabalho. Você não tem controle sobre isto. O que acontecerá em seguida será determinado por sua reação. Então, você se irrita. Repreende severamente sua filha e ela começa a chorar. Você censura sua esposa por ter colocado a xícara muito na beirada da mesa.

Tem prosseguimento uma batalha verbal. Contrariado e resmungando, você vai mudar de camisa. Quando volta, encontra sua filha chorando mais ainda e ela acaba perdendo o ônibus para a escola. Sua esposa vai pro trabalho, também contrariada. Você tem de levar sua filha, de carro, pra escola. Como está atrasado, dirige em alta velocidade e é multado. Depois de 15 minutos de atraso, uma discussão com o guarda de trânsito e uma multa, vocês chegam à escola, onde sua filha entra, sem se despedir de você. Ao chegar atrasado ao escritório, você percebe que esqueceu de sua maleta.

Seu dia começou mal e parece que ficará pior. Você fica ansioso pro dia acabar e quando chega em casa, sua esposa e filha estão de cara fechada, em silêncio e frias com você. Por causa de sua reação ao acontecido no café da manhã.

A) por causa do café?
B) por causa de sua filha?
C) por causa de sua esposa?
D) por causa da multa de trânsito?
E) por sua causa?

A resposta correta é a E.

Você não teve controle sobre o que aconteceu com o café, mas o modo como você reagiu naqueles 5 minutos foi o que deixou seu dia ruim. O café cai na sua camisa. Sua filha começa a chorar. Então, você diz a ela, gentilmente: "está bem, querida, você só precisa ter mais cuidado". Depois de pegar outra camisa e a pasta executiva, você volta, olha pela janela e vê sua filha pegando o ônibus. Dá um sorriso e ela retribui, dando adeus com a mão.

Duas situações iguais, que terminam muito diferente.

Porque os outros 90% são determinados por sua reação. Aqui temos um exemplo de como aplicar o Princípio 90/10. Se alguém diz algo negativo sobre você, não leve a sério, não deixe que os comentários negativos te afetem. Reaja apropriadamente e seu dia não ficará arruinado.

Golpeia o volante? Xinga? Sua pressão sobe? O que acontece se você perder o emprego? Por quê perder o sono e ficar tão chateado? Isto não funcionará. Use a energia da preocupação para procurar outro trabalho.

Seu vôo está atrasado, vai atrapalhar a sua programação do dia. Por quê manifestar frustração com o funcionário do aeroporto? Ele não pode fazer nada. Use seu tempo para estudar, conhecer os outros passageiros. Estressar-se só piora as coisas.

Agora que você já conhece o Princípio 90/10, utilize-o. Você se surpreenderá com os resultados e não se arrependerá de usá-lo. Milhares de pessoas estão sofrendo de um stress que não vale a pena, sofrimentos, problemas e dores de cabeça.

Todos devemos conhecer e praticar o Princípio 90/10.

(Texto de Stephen Covey)

***************************************************
Ci>> para os dias ruins... para os que tornam nossos dias ruins, e para aqueles que conseguem apaziguá-los apesar do transtorno!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Benditos sejam todos os amigos

Benditos sejam todos os amigos
que acreditam na tua verdade
ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção
é a base, quando falta o chão.

Benditos sejam todos os amigos
de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros
da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

[Machado de Assis]

Ci>> recebido hoje da Ale, e retransmitido a todos aqueles amigos a quem amo e que me amam!

Pedra e Coração…

“Não me prendo a nada que me defina. Sou companhia, mas posso ser solidão. Tranqüilidade e inconstância, pedra e coração. Sou abraços, sorrisos, ânimo, bom humor, sarcasmo, preguiça e sono. Música alta e silêncio. Serei o que você quiser, mas só quando eu quiser. Não me limito, não sou cruel comigo! Serei sempre apego pelo que vale a pena e desapego pelo que não quer valer… Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato… Ou toca, ou não toca.”

Clarice Lispector

*****************************
Ci>> e tenho dito!

Bom dia!

Você vê a vida da maneira que escolhe olhar para ela. As coisas não são do jeito que você ver. Elas são do jeito que você é. Busque uma nova consciência na sua observação de tudo a sua volta. Evite pensamentos rígidos pois nem tudo é o que parece ser!
Aqui estamos outra vez a caminho do futuro, entregues ao presente. O presente é este momento, o agora, o já .
Apesar de estarmos sempre semeando o futuro, hoje é o dia de colher o que foi plantado ontem. É impressionante como esta equação simples, cria tanta confusão na aritmética da vida.
Hoje é um direito. O amanhã é um projeto. O ontem, uma responsabilidade, uma dívida ou uma herança.
Como será impossível modificar o ontem. Aproveite o seu hoje muito bem, porque amanhã ele será uma cobrança ou um crédito.
Neste momento você tem chance de fazer escolhas para salvar, ou reafirmar o seu ontem. Agora também você pode fazer a escolha que vai garantir o seu amanhã. Por isso, viva este dia investindo o que você tem de melhor, principalmente suas virtudes.
Viva este dia com força de vontade. Explore ao máximo suas qualidades e seus dons e entregue-os a bons objetivos.
O sol, o céu, o vento, a chuva, os seus amigos, seus companheiros de trabalho, o seu amor, a sua família, estão prontos para aplaudir a sua a-present-ação...
Luzes...
Ação...
No ar deste dia... VOCÊ!
(Irineu Toledo - do site do Primeiro Programa)

****************************************************
Ci>> hoje é o ontém de amanhã? então vamos começar a mudar essa história agora... já até esqueci o que foi ontém, me interessa hoje, que será ontém amanhã! reinventar, reescrever, ao invés de reler velhos livros... as lições que eles tinham que nos trazer já trouxeram... mas a mente é farta de espaço, e o espaço está aberto para novas informações! palavra de ordem: À Forra!

Síndrome de Don Juan

(PARA AQUELES QUE SEDUZEM PELO PRAZER EM SEDUZIR E ESQUECEM QUE "SOMOS RESPONSAVEIS POR AQUELES QUE CATIVAMOS"... Ci)

A síndrome de Don Juanismo ou compulsão por sedução é um transtorno caracterizado por necessidade compulsiva por sedução, envolvimento sexual fácil mas fracasso no envolvimento emocional, sendo assim, determinada por relacionamentos íntimos pouco duradouros ou até mesmo inexistentes. Os indivíduos que têm esta síndrome são excessivamente sedutores e, em geral, têm como alvo pessoas "difíceis" ou "proibidas" de serem alcançadas. As outras pessoas facilmente se apaixonam por eles, entretanto, o indivíduo com a síndrome logo se apercebe de que o parceiro ou o relacionamento não há mais graça e, por fim, acaba por abandonar a pessoa. Esses indivíduos não se apegam aos seus parceiros, pois possuem apenas uma atração fugaz em que quando o outro é conquistado, este mesmo vira enjoativo, sem graça e a atração desaparece.

Não raro, a síndrome associa-se a uma personalidade fria e insensível para com os sentimentos alheios, cujo próprio interesse momentâneo é o objetivo maior. Sendo assim, são pessoas frequentemente egoístas e com uma grande sensibilidade à monotonia: são intolerantes ao tédio, o que os faz comumemente buscarem estímulos e novidades, caracterizando uma inconstância nos relacionamentos que se tornam enjoativos facilmente. Por tais características, a síndrome pode ser confundida ou ser um dos sintomas do transtorno de personalidade antissocial, ou mais popularmente conhecido como psicopatia.

Essa compulsão se inicia na adolescência e a cura é pouco provável. Ela se manifesta tanto em homens quanto mulheres, entretanto, parece ser mais evidente em homens. Talvez porque a mulher é naturalmente mais emotiva e mais propensa a apaixonar-se facilmente pelo homem, facilitando assim, a concretização da conquista para o homem com don juanismo. Outra justificativa significante seria o fato das mulheres don juanistas serem em si mais discretas e pouco descobertas.

A expressão "don juanismo" aparece por conta do mítico Don Juan, jovem conquistador e sedutor que após conquistar inúmeras mulheres, abandonava-as.

(Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre)
___________________________________________

Mais sobre Don Juanismo...

Fica mais difícil entender os novos tempos, quando consideramos que as expressões ficar com... e sair com... significam a mesma coisa, apesar dos termos ficar e sair serem antagônicos.

Donjuanismo é uma expressão em desuso que veio à tona há algum tempo, depois do filme Don Juan de Marco, com Marlon Brando e Johnny Depp. O filme Don Juan de Marco foi escrito e dirigido por Jeremy Leven.

Don Juan é um personagem literário tido como símbolo da libertinagem. O primeiro romance com referência ao personagem foi a obra El Burlador de Sevilla, de 1630, do dramaturgo espanhol Tirso de Molina. Posteriormente Don Juan aparece em José Zorrilla com a estória de Don Juan Tenorio. A figura de Don Juan foi também cultuada na música, em obras de Strauss e Mozart, este último com a ópera Don Giovanni, composta em 1787. Outro paradigma do eterno sedutor é a figura de Casanova, conhecida pela autobiografia do veneziano Giovanni Jacopo Casanova.

Mas a figura do eterno sedutor continua atrelada à Don Juan, que aparece ainda na obra de Molière, em Le Festin de Pierre, no poema satírico de Byron chamado simplesmente Don Juan, no drama de Bernard Shaw, chamado Man and Superman.

Segundo Jung, para quem qualquer forma de arte, assim como os mitos, são veículos para a expressão do inconsciente coletivo, Don Juan pode representar nossos arquétipos (Walter Boechat - veja mais sobre o filme). Trata-se de um padrão de personalidade caracterizado por uma pessoa narcisista, enamorada , inescrupulosa, amada e odiada e que faz tudo valer para a conquista de uma mulher.

O donjuanismo representa um protótipo particular de comportamento humano, classificação esta estribada particularmente em valores culturais e morais.

Independente das interpretações psicanalíticas sobre o filme Dom Juan de Marco, interessa aqui apenas caracterizar um tipo de conduta atual; a inclinação que as pessoas têm para liberdade sexual explícita. A característica principal do que se pode chamar hoje de donjuanismo, seria uma forte compulsão para sedução, entretanto essa ocorrência não é isolada nem única na personalidade da pessoa, mas reflete sim uma estrutura social e comportamental especial.

Descreve-se o donjuanismo como uma personalidade que necessita seduzir o tempo todo, que aparentemente se enamora da pessoa difícil mas, uma vez conquistada, a abandona. As pessoas com esse traço não conseguem ficar apegados a uma pessoa determinada, partindo logo em busca de novas conquistas. As pessoas com essas características são os anarquistas do amor (Sapetti), tornando válidos quaisquer meios para conquistar, entretanto, os entimentos da outra pessoa não são levados em conta. Aliás, Foucault enfatiza essa questão ao dizer que Don Juan arrebenta com as duas grandes regras da civilização ocidental, a lei da aliança e a lei do desejo fiel.

Em psiquiatria clínica, entretanto, a despeito do aspecto contestador que Foucault quer ver nessa atitude, o desprezo para com o sentimento alheio pode ser critérios para o diagnóstico de Sociopatia ou Personalidade Anti-Social. Para o donjuan só interessa o instante do prazer e o triunfo sobre sua conquista, principalmente quando a presa de seu interesse tem uma situação civil proibida (casada, freira, irmã ou filha de amigo, etc).

Normalmente essas pessoas ignoram a decência e a virtude moral mas seu papel social tenta mostrar o contrário; são eminentemente sedutores. Sobre essa característica o escritor Carlos Fuentes, alega ao seu Don Juan a frase: "Porque nenhuma mulher me interessa se não tiver um amante, marido, confessor ou Deus, ao qual pertença ...".

O aspecto de desafio mobiliza o donjuan, fazendo com que a conquista amorosa tenha ares de esporte e competição, muitas vezes convidando amigos para apostas sobre sua competência em conquistar essa ou aquela mulher. Não é raros que esses conquistadores tragam listas e relações das mulheres conquistadas, tal como um troféu de caça.

Por outro lado, segundo Kaplan, deve haver significativos sentimentos homossexuais latentes desses indivíduos. Esse autor considera que, levando para a cama a mulher de outro, o donjuan estaria inconscientemente se relacionando com o marido, motivo maior de seu prazer. Tanto que é maior o prazer quanto mais expressivo é o marido ou namorado traído.

O narcisismo (traço feminóide) dessas pessoas é uma das características mais marcantes, ao ponto delas amarem muito mais a si mesmas que a qualquer outra pessoa conquistada. Outros autores acham o donjuanismo um excesso do complexo de Édipo, ou fixação na mãe, já que muitos deles não constituem família com nenhuma de suas conquistas e acabam vivendo para sempre com suas mães.

Nos casos mais sérios a inclinação à sedução pode adquirir caráter de verdadeira compulsão, tal como acontece no jogo patológico. De certa forma, a conquista compulsiva do Donjuan serve-lhe para melhorar sua sensação de segurança e auto-estima, entretanto, uma vez possuído o que desejava, já não o deseja mais. Em alguns casos o Donjuan começa a se desestimular com a conquista, quando percebe que a mulher conquistada já está apaixonada por ele, ou ainda, pode nem haver necessidade do ato sexual a partir do momento em que ele percebe que a mulher aceita e deseja o sexo com ele. Por outro lado, se a mulher é indiferente ou não cede à sua sedução, o Donjuan se torna mais obstinado ainda.

Não será totalmente lícito dizer, como dizem alguns, que o Donjuan se diverte com o sofrimento alheio. Na realidade parece mais que seja insensível ao sentimento alheio do que tenha prazer com ele. De fato, parece que eles não experimentam com o amor o mesmo tipo de sentimento que as demais pessoas. O amor neles é um sentimento fugaz, passageiro e que, continuadamente, tem o objeto alvo renovado. Se algum déficit pode ser apurado na personalidade do Donjuan, este se dá no controle da vontade.

Apesar dessa compulsão à sedução, isso não significa que a pessoa portadora de donjuanismo seja, obrigatoriamente, mais viril ou mais ativo sexualmente. A contínua sedução do donjuan nem sempre se dá às custas de um eventual desempenho sexual excepcional mas sim, devido à habilidade em oferecer sempre às mulheres tudo aquilo que elas mais estão querendo. Nesse sentido, todos eles são sempre muito inconstantes, desempenham papeis sociais sempre teatrais e exclusivamente dirigidos à satisfação de suas conquistas, por isso fazem sempre o tipo "príncipe encantado", tão cultuado pelo público feminino. Eles têm habilidade em perceber rapidamente os gostos e franquezas de suas vítimas e, são igualmente rápidos em atender as mais diversas expectativas.

Há quem considere como uma das características fundamentais da personalidade do donjuan uma acentuada imaturidade afetiva. O aspecto volúvel e responsável pela constante troca de relacionamento pode ser indício dessa imaturidade afetiva e indica, sobretudo, uma completa carência de responsabilidade ou medo de assumir os compromissos normais das pessoas maduras (casamento, família, filhos, etc.).

Conclusões

A impressão (falsa) que se tem sobre o donjuan é que, assim como é bem sucedido nas conquistas amorosas, também deve sê-lo em relação aos demais aspectos de sua vida. Entretanto, apesar dessas pessoas dominarem muito bem a arte da conquista do sexo oposto, elas não costumam ter a mesma habilidade em outras áreas da atividade humana; ocupacional, empresarial, estudantil ou mesmo familiar.

A trajetória de sua vida nem sempre resulta num final satisfatório. Normalmente as pessoas com esse perfil de personalidade acabam por não se fixarem com nenhuma companhia mais seriamente, não constituem família e acabam se aborrecendo quando constatam que não têm mais facilidade para conquistar mocinhas de 20 anos quando já estão na casa dos 60. Além disso, muitas vezes acabam ridicularizados por essas tentativas totalmente fora do contexto.

Além disso, eles podem atravessar períodos de grande angústia na maturidade quando se dão conta de que todos seus amigos estão casados têm família e eles já não podem desfrutar de tantas companhias femininas como outrora.

Tendo-se em mente a natureza constitucional do donjuanismo, ou seja, considerando ser este um defeito do caráter, o tratamento mais eficiente deve ser pleiteado para as intercorrências emocionais que acometem o paciente por conta da situação vivencial em que se encontra e não, diretamente dirigido à essa característica da personalidade.

(Ballone GJ - Síndrome de Don Juan in. PsiqWeb, Internet, disponível em www.psiqweb.med.br - do blog Metamorfose Ambulante)
*****************************************************
Ci>> Perfeito! Este é um texto técnica e históricamente perfeito! Perfeito para diagnosticar essa doença que algumas pessoas têm de passar feito um trator sobre o sentimento alheio, de usar e abusar do proprio charme em prol dele mesmo, e ao final, desfazer do que foi seduzido pelo pleno prazer de ter conquistado... ahhh, o tal "Jogo"... o jogo que nem todo mundo sabe jogar, mas não quer dizer que nao tenha que jogar... so sabe que vai perder, já entra sabendo inclusive! Agora eu entendi, esse sentimento de sobreposição ao próximo, de querer enquanto nao pode ter, e quando tem, poe na estante, é uma patologia! e de homens patológicos queremos o que meninas??? exato, DISTÂNCIA!

Um Amor Errado

“E agora está você aí, com esse amor que não estava nos planos.
Um amor que não é a sua cara, que não lembra em nada um amor idealizado. E, por isso mesmo, um amor que deixa você em pânico e em êxtase. Tudo diferente do que você um dia supôs, um amor que te perturba e te exige, que não aceita as regras que você estipulou.
Um amor que a cada manhã faz você pensar que de hoje não passa, mas a noite chega e esse amor perdura, um amor movido por discussões que você não esperava enfrentar e por beijos para os quais nem imaginava ter tanto fôlego.
Um amor errado como aqueles que dizem que devemos aproveitar enquanto não encontramos o certo, e o certo era aquele outro que você havia solicitado, mas a vida, que é péssima em atender pedidos, lhe trouxe esse e conforme-se, saboreie esse presente, esse suspense, esse nonsense, esse amor que você desconfia que não lhe pertence.” (…)
Martha Medeiros.
do Blog da Lica - Dilemas e Delirios

*********************************************
Ci>> isso isso isso, um amor errado... é isso que precisamos, um amor do avesso, daqueles que deixa a gente meio sem ação, pq tudo é diferente do que manda a regra... nada de amores planejados, nada de amores de ilusões, nada de sonhos, nada de contos de fadas... contos da cidade, encontro no metro, bagunça no meu mundinho... eu quero, eu quero, eu quero!

Aprendendo com os acertos

Poetas têm o sagrado direito à pedagogia do erro, pois esta é sua forma de praticar a liberdade. Para eles, errar é o jeito de acertar na vida, como bons arqueiros, dando-nos a lição involuntária de que ela, sim, deve ser eleita como nosso maior alvo.


Aprendendo com os acertos
(por Alexandre Pelegi)

Dizem que a gente aprende com os erros, mas pra mim tal regra jamais funcionou. Coincidência ou não, meus maiores aprendizados nasceram sempre após bons acertos. Daí a acreditar que aprendo com os êxitos. Os erros, esses têm sobre mim um efeito broxante - me tiram do sério, me provocam náuseas além de uma terrível preguiça de prosseguir. O erro, pra mim, dura pouco, muito pouco; deixo o barco furado antes que a água suba e parto pra refazer meu plano de viagem, mudando o roteiro ou procurando carona para prosseguir vivendo.
Viver não tem nada a ver com errar. Errar é coisa de suicida, gente que prefere cair fora antes de tentar. É papo de chato, que escolhe a repetição monocórdica da água - como se água fosse! -, e confunde o resto a pedras, que um dia serão furadas por sua insistente chatice.
Errar é desumano, isso sim, os animais que o digam, quer dizer, os animais nos mostram isso o tempo todo. Animal não tem o dom do improviso, tampouco sabe que felicidade é um negócio por demais complexo. A simplicidade animal é apenas sobrevivência, nada mais... Quem acha que aprende com o erro, me perdoe, mas desconfio que é daqueles que prefere acertar por exclusão, jamais por opção; do tipo que se entrega à sorte, como se jogasse par ou impar com a vida. Vai que dá certo, né?
O poeta Paulo Leminski escreveu certa feita:
nunca cometo o mesmo erro
duas vezes
já cometo duas três
quatro cinco seis
até esse erro aprender
que só o erro tem vez
O erro que aprenda, pois cabe a cada um se aperceber da tortura que é passar a vida a dar cabeçadas na parede, quando a poucos metros a porta destrancada aguarda apenas o gesto bestial de ser aberta com suavidade e naturalidade...
Leminski era poeta, e poetas têm o sagrado direito à pedagogia do erro, pois esta é sua maneira torta de praticar a liberdade. Para os poetas, errar é o jeito avesso com que buscam acertar a vida. Como bons arqueiros, eles nos dão a lição involuntária de que ela, sim, - a vida -, deve ser sempre eleita como o grande alvo final.
***********************************************
Ci>> O dificil mesmo é se permitir errar... quando nao estamos acostumados a tentar pelo erro, e erramos, sentimos uma dor extrema, uma vontade louca de apagar tudo e recomeçar, ao contrario do que deveriamos: começar de onde paramos e aprender com aquele erro para não repetir... o ser humano ainda é falho demais para aprender com o erro, melhor excluir ele da história, o erro incomoda...

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Revelações

photographer_eve_arnold.jpg(por Alexandre Pelegi)

Não consigo usar máquina fotográfica digital. Pode me chamar de ultrapassado, jurássico, o que mais quiser. A magia da fotografia tradicional, já esta sempre me encantou. O mistério do resultado, que fica em segredo até o dia da revelação, sempre me deixou enlevado. Revelação, bela palavra! Somente depois de alguns dias é que se descobre se aquela imagem trazida na retina é a mesma que se conseguiu capturar. É quando o passado se revela diante da gente, mostrando detalhes que não reparamos, fatos que não lembrávamos, humores não percebidos. A fotografia nos concede o tempo precioso para a maturação, intervalo único para identificar o quanto de memória guardamos do mundo.

Uma foto tem a magia de nos levar de volta ao passado, de exercitar nossa memória com a descoberta de fatos que valeram a pena e de pessoas que sumiram de nossa vida sem deixar poeira... Outro dia pude rever fotografias antigas na casa de meus pais, muitas que não via há décadas. Vi minha primeira “namoradinha”, de um tempo em que a vergonha era a primeira descoberta do ritual que antecedia o namoro. Mirrada, as pernas finas sobressaindo dum vestido estampado, o cabelo cobrindo os olhos em meio ao que parecia ser um vento forte, ela sorria de forma cativante. Era o flagrante de um instante único de felicidade! Ela e eu tínhamos perto de 10 anos de idade, crianças que, ao contrário do que canta Cássia Eller, conheciam a verdade... de gostar da vida.

Não sei como ela está hoje, nem gostaria de saber... Aquela foto, no entanto, mostrou-me o poder de um sorriso, que atravessou as grossas paredes dos anos superando humores e problemas. Aquele flagrante de uma partícula minúscula de tempo e espaço me fez sentir novamente as sensações de uma paixão inocente, do frio na barriga, do mistério que é se apaixonar. É algo que ficou no passado, é vero, mas que por isso mesmo pode apenas ser relembrado e, graças a isso, revivido...

A magia de relembrar o que senti na infância me fez descobrir que, apesar e além dos anos, certas sensações permanecem comigo até hoje. Eu até arriscaria dizer que ficaram pra sempre, seja lá o que significa a eternidade pra nós, pobres humanos. Já a foto digital... bom, deixa pra lá. A cada tempo suas traquitanas e idiossincrasias!

************************************************************

Ci>> Hildeberg Rosenthal está em exposição no MAP de São Paulo. Quem tiver interesse, imagino que seja magnífico (pois ela é). Acho que vou terminar o curso de fotografia viu... a ver...

 

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

TOQUE DE LUZ: Silêncio

0209fun-messbrasil.jpgQuando você aprende a se desprender gentilmente de sua identidade física, consegue reduzir a velocidade da mente na mesma proporção. Quando você aprende a se interiorizar e se considerar apenas como uma semente, começa a ter contato com a doçura do silêncio. E é nesse estado que você consegue criar os pensamentos que realmente deseja, ao invés de se sentir vítima da própria mente e do pensar. Lembre-se: todos nós somos capazes de atravessar a selva dos pensamentos e encontrar o ponto brilhante do silêncio interior. Encontre o seu.

(por Brahma Kumaris)

********************************************************

Ci>> saber falar e saber calar é a grande lição para 2010. Aprender quando falar e quando calar, quando ouvir, e quando responder, e o que responder... saber se colocar ou se excluir de algo, alguma situação... este é o ano que mais teremos que pesar nossas palavras, nossas ações, e o quanto doamos aos outros de nós mesmos... Feliz 2010 para nós todos!

sábado, 2 de janeiro de 2010

Oração por Entendimento

Senhor Jesus! Auxilia-nos a compreender mais, a fim de que possamos servir melhor, já que, somente assim, as bênçãos que nos concedes podem fluir, através de nós, em nosso apoio e em favor de todos aqueles que nos compartilham a existência.

Induze-nos à prática do entendimento que nos fará observar os valores que, porventura, conquistemos, não na condição de propriedade nossa e sim por manancial de recursos que nos compete mobilizar no amparo de quantos ainda não obtiveram as vantagens que os felicitam a vida.

E ajuda-nos, oh! Divino Mestre, a converter as oportunidades de tempo e trabalho com que nos honraste em serviço aos semelhantes, especialmente na doação de nós mesmos, naquilo que sejamos ou naquilo que possamos dispor, de maneira a sermos hoje melhores do que ontem, permanecendo em ti, tanto quanto permaneces em nós, agora e sempre.

Assim seja.

Chico Xavier por Emmanuel

***********************************
Ci>> este é todo o meu desejo para 2010... ENTENDIMENTO. Feliz 2010, Amigos!