sexta-feira, 16 de abril de 2010

Uma nova forma de ver a vida

[tenho estado tao feliz. tudo está bem agora, não importa os problemas. Você coloca um sorriso na minha boca que nada consegue tirar ... meu tempo começou a contar de outra forma ... resume-se a você, quanto tempo leva para que eu possa parar de trabalhar e pensar em você, quanto tempo para chegar em casa e conversarmos, quanto tempo falta pra te encontrar ... tudo é você. Pq só vc me deixa feliz assim ?]

[Amor, você é a minha vida agora, a parte que faltava do meu coração. A parte que achei que nunca encontraria ... por muito tempo eu achei que meu coração estivesse quebrado, mas estava enganada, ele estava incompleto e realmente as partes que faltavam eu só encontro em você...]

Ci>> Trechos de uma declaração de amor de uma menina linda para um amigo querido, que me fizeram pensar...

Como acontece o amor, como ele aparece? assim, feito uma criança que aparece brincando no seu quintal, do nada, entra sem pedir licença, quebra suas plantas, derruba os vasos, estraga toda aquela paz que voce vem construindo há anos, bagunça tudo o que você levou um tempo para arrumar, e ainda assim, você se encanta com a ingenuidade dela ali, brincando simples, fazendo arruaça... nem liga para o que ela desfez, pq a alegria que ela trouxe para aquele cantinho até então quieto, sozinho, arrumadinho mas sem vida, isso ninguém no mundo paga... aquele sorriso que te deixa sem vontade de piscar, para não perder nem um pedacinho dele... aquela vontade de abraça-la para sentir que aquela criança é real, não é um sonho, um fruto da sua imaginação... o que é o amor? bagunça tudo por dentro, tira do lugar o que estava quietinho, quebra os vasos, arranca as plantas, corta as raízes do que é velho, para crescer o que é novo... entra sem pedir, e vai brincar no espaço que até então não era dele... e passa a ser sem que ninguém precise autorizar! ELE ACONTECE... e sua ingenuidade e despretensão impedem que qquer um o repreenda, pq a maior qualidade do amor é estar presente sem se impor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário