quarta-feira, 24 de abril de 2013

Oração à Iansã

Que hoje sua força me envolva e me conduza e que em minhas mãos sua espada me dê a força necessária para a luta e para a defesa do que é certo...
Tome minhas ações e me direcione, e ao meu coração, e às minhas palavras e pensamentos... que ...sua coragem me vista, me cubra.
Me complete com seu axé de modo que eu consiga trabalhar e exteriorizar esta força em forma de determinação, fé, caridade, amor ao próximo, luta, sabedoria, pela defesa dos mais necessitados, e acima de tudo, cumprindo POR AMOR as Leis Divinas.
Que eu não duvide da Fé e do Conhecimento, apesar dos obstáculos; do Amor, da Justiça e da Lei, apesar das contrariedades; da Evolução de tudo e de todos, e do poder de Geração e renovação de todas as coisas, força que nos move e nos levanta todos os dias para um novo amanhecer.
Salve minha mãe Iansã, seu axé está dentro de mim, está em todo lugar.
Que eu irradie isso por onde eu passar... Eparrei!

terça-feira, 23 de abril de 2013


"Saberás que não te amo e que te amo posto que de dois modos é a vida, a palavra é uma asa do silêncio, o fogo tem uma metade de frio. Eu te amo para começar a amar-te, para recomeçar o infinito e para não deixar de amar-te nunca: por isso não te amo ainda. Te amo e não te amo como se tivesse em minhas mãos as chaves da fortuna e um incerto destino desafortunado. Meu amor tem duas vidas para amar-te. Por isso te amo quando não te amo e por isso te amo quando te amo."

Pablo Neruda
 
(Ci>> que perfeito! Que tudo este homem, que maravilhosos os textos dele... eu me emociono toda vez que leio algo vindo dele... incrível!)

SEMELHANTE ATRAI SEMELHANTE (Por Osho)


Somente uma pessoa amorosa, aquela que realmente é amorosa; pode encontrar o parceiro certo.
Essa é minha observação: se você está infeliz você irá encontrar alguém também infeliz. Pessoas infelizes são atraídas pelas pessoas infelizes. E isso é bom, é natural. É bom que as pessoas infelizes não sejam atraídas pelas pessoas felizes; senão elas destruiriam a ...felicidade delas. Está perfeitamente bem.
Somente pessoas felizes são atraídas pelas pessoas felizes. O semelhante atrai o semelhante. Pessoas inteligentes são atraídas pelas pessoas inteligentes; pessoas estúpidas são atraídas pelas pessoas estúpidas.
Você encontra as pessoas do mesmo plano. Então a primeira coisa a lembrar é: um relacionamento está fadado a ser amargo se este surgiu da infelicidade.
Primeiro seja feliz, seja alegre, seja festivo e então você encontrará alguma outra alma festiva e haverá um encontro de duas almas dançantes e uma grande dança irá surgir disso.
Não peça por um relacionamento a partir da solitude, não. Assim você estará indo na direção errada. Então o outro será usado como um meio e o outro lhe usará como um meio. E ninguém quer ser usado como um meio! Cada indivíduo único é um fim em si mesmo. É imoral usar alguém como um meio.Primeiro aprenda como ser só. A meditação é um caminho para ficar sozinho.
Se você puder ser feliz quando você está só, você aprendeu o segredo de ser feliz. Agora você pode ser feliz acompanhado. Se você é feliz, então você tem alguma coisa para compartilhar, para dar. E quando você dá, você obtém; não é de outra maneira. Assim surge uma necessidade de amar alguém.
Geralmente a necessidade é de ser amado por alguém. É a necessidade errada. É uma necessidade infantil; você não está amadurecido. É uma atitude infantil.
Uma criança nasce. Naturalmente, a criança não pode amar a mãe; ela não sabe o que é amar e ela não sabe quem é a mãe e quem é o pai. Ela está totalmente desamparada. Seu ser ainda está para ser integrado; ela ainda não está reunida.
Ela é somente uma possibilidade. A mãe precisa amar, o pai precisa amar, a família precisa banhar a criança de amor. Agora ela aprende uma coisa: que todos têm que amá-la. Ela nunca aprende que ela precisa amar. Agora a criança irá crescer e se ela permanecer presa nessa atitude que todo mundo tem que amá-la, ela irá sofrer por toda sua vida. Seu corpo cresceu, mas sua mente permaneceu imatura.
Uma pessoa amadurecida é aquela que chega a conhecer a necessidade do outro: que agora tenho que amar alguém.
A necessidade de ser amado é infantil, imatura. A necessidade de amar é maturidade.
E quando você está preparado para amar alguém, um belo relacionamento irá surgir; de outra maneira não.
"É possível que duas pessoas num relacionamento sejam más uma para com a outra"?
Sim, isso é o que está acontecendo por todo o mundo. Ser bom é muito difícil. Você não é bom nem para si mesmo.
Como você pode ser bom para outra pessoa?
Você nem mesmo ama a si próprio! Como você pode amar outra pessoa? Ame a si mesmo, seja bom para si mesmo.
Os seus assim chamados santos têm lhe ensinado a nunca amar a si mesmo, para nunca ser bom para si mesmo.
Seja duro consigo mesmo! Eles têm lhe ensinado a ser delicado para com os outros e duro para consigo mesmo. Isso é um absurdo.
Eu lhe ensino que a primeira e mais importante coisa é ser amoroso para consigo mesmo. Não seja duro; seja delicado.
Cuide de si mesmo. Aprenda como se perdoar, cada vez mais e novamente; sete vezes, setenta e sete vezes, setecentos e setenta e sete vezes. Aprenda como perdoar a si próprio. Não seja duro; não seja antagônico consigo mesmo.
Assim você irá florescer.
Nesse florescimento você atrairá alguma outra flor. Isso é natural. Pedras atraem pedras; flores atraem flores. Assim há um relacionamento que possui graça, que possui beleza, que possui uma bênção nele.
Se você puder achar um relacionamento assim, seu relacionamento crescerá para uma oração; seu amor se tornará um êxtase e através do amor você conhecerá o que é o divino.

 
(Osho)

segunda-feira, 22 de abril de 2013

O medo de errar


MARTHA MEDEIROS
ZERO HORA - 25/09/11

A gente é a soma das nossas decisões.

É uma frase da qual sempre gostei, mas lembrei dela outro dia num local inusitado: dentro do súper. Comprar maionese, band-aid e iogurte, por exemplo, hoje requer expertise. Tem maionese tradicional, light, premium, com leite, com ômega 3, com limão, com ovos “free range”. Band-aid, há de todos os formatos e tamanhos, nas versões transparente, extratransparente, colorido, temático, flexível.

Absorvente com aba e sem aba, com perfume e sem perfume, cobertura seca ou suave. Creme dental contra o amarelamento, contra o tártaro, contra o mau hálito, contra a cárie, contra as bactérias. É o melhor dos mundos: aumentou a diversificação. E com ela, o medo de errar.

Assim como antes era mais fácil fazer compras, também era mais fácil viver. Para ser feliz, bastava estudar (magistério para as moças), fazer uma faculdade (Medicina, Engenharia ou Direito para os rapazes), casar (com o sexo oposto), ter filhos (no mínimo dois) e manter a família estruturada até o fim do dias. Era a maionese tradicional.

Hoje, existem várias “marcas” de felicidade. Casar, não casar, juntar, ficar, separar. Homem com mulher, homem com homem, mulher com mulher. Ter filhos biológicos, adotar, inseminação artificial, barriga de aluguel – ou simplesmente não tê-los.

Fazer intercâmbio, abrir o próprio negócio, tentar um concurso público, entrar para a faculdade. Mas estudar o quê? Só de cursos técnicos, profissionalizantes e universitários, há centenas. Computação Gráfica ou Informática Biomédica? Editoração ou Ciências Moleculares? Moda, Geofísica ou Engenharia de Petróleo?

A vida padronizada podia ser menos estimulante, mas oferecia mais segurança, era fácil “acertar” e se sentir um adulto. Já a expansão de ofertas tornou tudo mais empolgante, só que incentivou a infantilização: sem saber ao certo o que é melhor para si, surgiu o medo de crescer.

Todos parecem ter 10 anos menos. Quem tem 17, age como se tivesse 7. Quem tem 28, parece ter 18. Quem tem 39, vive como se fossem 29. Quem tem 40, 50, 60, mesma coisa. Por um lado, é ótimo ter um espírito jovial e a aparência idem, mas até quando se pode adiar a maturidade?

Só nos tornamos verdadeiramente adultos quando perdemos o medo de errar. Não somos apenas a soma das nossas escolhas, mas também das nossas renúncias. Crescer é tomar decisões e, depois, conviver pacificamente com a dúvida. Adolescentes prorrogam suas escolhas porque querem ter certeza absoluta – errar lhes parece a morte.

Adultos sabem que nunca terão certeza absoluta de nada, e sabem também que só a morte física é definitiva. Já “morreram” diante de fracassos e frustrações, e voltaram pra vida. Ao entender que é normal morrer várias vezes numa única existência, perdemos o medo – e finalmente crescemos.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

♥ A gente se reconheceu... ♥

"E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser felizes. A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco e sonha com sonos jamais despertados antes do meio-dia. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que a nuca do outro no final do dia. A gente se reconheceu..."

(Postagem de Vania Cangussu de 12.04.13)

 

Ci>> tenho vontade de dizer outras coisas também...

Eu, mulher...

 
Este álbum possui 1 foto e estará disponível no SkyDrive até 11/07/2013.
 
 
 
Pedaços & Trechos ✫✫

"Mulher de verdade e bem resolvida, não precisa tirar foto pelada, tão pouco ser vulgar, para conquistar um homem e para provar pra si mesma que é linda! Uma Mulher de verdade, valoriza-se com aquilo que tem: um sorriso sincero, um olhar profundo, um carisma, um gesto meigo. É autêntica no seu jeito de ser, sem rodeios. Ela sabe que ser linda significa ter a alma linda, ter sentimentos sinceros, e acima de tudo ser sincera. Não precisa ser perfeita para ser linda basta apenas ser MULHER de verdade..." (Postagem de Vania Cangussu – 12.04.13)

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Drama da Vida

Toque Bk 02/abr -

"Não se chateie com algumas cenas da vida. Simplesmente desempenhe o seu papel como o melhor dos atores e deixe que as situações mudem a seu favor. Observe as cenas como quem vê um filme; nele, cada ator desempenha seu papel de acordo com um roteiro. Portanto, acredite que o drama da vida é benéfico a longo prazo, mesmo que no presente possa não parecer."

(Brahma Kumaris)

quarta-feira, 3 de abril de 2013

03 de Abril de 2003...


Era uma vez...
Um dia corrido no trabalho...(como todos os outros). Chefe bravo, broncas sobrando, pepinos e pepinos...

Havia um evento acontecendo naquele dia, 03/04/2003, uma feira da qual eu queria muito participar, mas o meu chefe mau não queria que eu fosse, achava que era perda de tempo... 



Eu por minha vez achava que era imprescindível que eu estivesse presente na feira, como profissional... Queria conhecer as novidades do mercado, mas também tinha uma pulguinha pedindo que eu fosse, uma coisinha dizendo que eu não poderia perder aquela feira... Senti que tinha que ir, queria ir, então insisti até que ele permitiu (sob livre e espontânea pressão), e como na historia da gata borralheira, fiz tudo bem rapidinho com a ajuda de uma fada madrinha (aqui vou chama-la de MADRINHA) para acabar logo o trabalho, já que iriamos com a sua carruagem ao evento, e precisava estar pronta no exato horário. 

Era uma tarde de sol, uma tarde quente de abril, abafada... pegamos um transito enorme no caminho (Marginal Tietê do Além), mas chegamos ao destino dentro do prazo estimado.


Eu não sabia, mas naquele dia me haviam preparado uma surpresa (alguém em algum lugar do Cosmos): encontraria um ser tao especial que, em meio àquela multidão da feira, eu consegui vê-lo como se fosse diferente das outras pessoas, mais iluminado, destacado dos demais, diverso. Alguém que chamou minha atenção em meio àquele povo todo.


Andávamos pelas ruas do evento conversando eu e MADRINHA, trocando ideias, distraídas e rindo muito, quando levei um susto: eu o vi paradinho, em pé frente ao stand que representava, terno preto, impecável. 








À Primeira vista achei ele um gato e comentei com a MADRINHA: estou tendo uma visão, me belisca! Ela sem entender nada seguiu meu olhar, e quando enxergou o bofe no meio de tanta gente, concordou: que gato!


Imediatamente começamos a planejar um meio de chegarmos até ele, um pretexto que não denunciasse o meu real interesse da aproximação. Aí nos lembramos de uma visita feita por um membro da empresa onde ele trabalhava, fazia pouco tempo. O álibi era perfeito. Seguimos em direção ao gato e quando chegamos perto, ela perguntou:
- Olá, gostaríamos de falar com a Roberta!
Ele respondeu gentilmente, e para meu deleite:
- Roberta não trabalha mais conosco, mas se eu puder ajuda-las...

MADRINHA então nos apresentou a ele e ele a nós (um gentleman, educadérrimo). 

ENGRAÇADO: parecia que o conhecia de algum lugar, que já havia visto aquele rapaz ou ouvido sua voz, uma sensação de ‘Dejavu’ tomou conta daquele momento... enfim... 
Marcamos uma nova visita, agora feita por ele, e na qual levaria os brindes da feira que ja haviam acabado para nós. Trocamos cartões, comentamos sobre negócios (mais ela e ele que eu, pois estava tentando lembrar de onde o conhecia) e depois deixamos o stand. Quando saímos, me lembro de ter comentado com ela:
- Conheço esse bofe de algum lugar... não sei de onde...
O Dia da visita chegou, eu o recebi em nosso escritório. Quando o vi pela 2a vez tive a certeza de que ele não me era estranho. Novamente trocamos informações sobre negócios  e gentilmente ele deixou comigo o brinde que havia prometido: duas canecas de louça com a logomarca de sua empresa. Agradeci, ele se levantou e voltou ao seu escritório... eu para o meu trabalho.

Por dias fiquei tentando lembrar de onde eu o conhecia, se havíamos estudado juntos, se eu o havia encontrado em algum lugar, não sei. 
O Fato é que aquela dúvida passou a fazer com que eu pensasse nele todos os dias, e sentisse vontade de falar com ele de novo. 

Passamos a nos comunicar com mais frequência  por e-mail ou telefone por força do trabalho (o que me beneficiava duplamente, já que alem de garantir uma boa parceria, ainda poderia curtir a beleza do bofe, como o chamávamos eu e a MADRINHA) até que pudemos enfim concluir a parceria entre as empresas e assim, criou-se uma relação de trabalho estável (apesar das minhas segundas intenções, confesso).

Um dia combinamos de irmos todos a uma palestra, uma grande experiencia de trabalho, mas para mim especialmente  (até onde eu sei) uma oportunidade de conversarmos, de ver o bonitão novamente. O Bofe estava com o pé machucado, mas mesmo assim foi até a tal palestra de metrô (me lembro que até fiz escova no cabelo no escritório, naquele dia). 


Um fato engraçado foi que eu estava de carro, ele não, então dei uma carona a ele e à MADRINHA. Saindo do estacionamento, ele no banco de trás do carro (volto a repetir, pé quebrado, ou torcido, algo assim) aparecia inteiro no meu retrovisor. 


Fiquei tao passada com a beleza do bofe no meu retrovisor, que saí do estacionamento, à noite, e esqueci de ligar os faróis do carro. Resultado? Quase bato o carro! 


Enquanto íamos até os pontos onde deixaria os dois, batíamos um papo sobre vida, relacionamentos, afim de nos conhecermos melhor, já que era a 3a vez que nos víamos pessoalmente, eu, ele e MADRINHA. 

Em meio à nossa conversa, soube que era comprometido e que iria se casar em pouco tempo. Eu também era comprometida... Dadas as possibilidades, nos restou construir uma grande amizade somente, cercada de carinho e de afeto, mas aí já sem as famigeradas segundas intenções (risos).


Este foi o ponto que separou aquela amizade superficial de companheiros de trabalho da amizade verdadeira, aquela que requer cuidados, que traz implícita o carinho, o respeito, e exige manutenção para que dure para sempre.



Com o contato quase que diário, passei a sonhar com ele com frequência, que passeávamos em jardins juntos, em lugares onde eu nunca havia estado ou em grandes reuniões ou palestras das quais participávamos. Estávamos frequentemente estudando, aprendendo, como se frequentássemos a mesma escola. Nosso contato era diário, o que nos aproximou a ponto de contar-lhe meus sonhos. Descobrimos que compartilhávamos da mesma religião  e que em sonhos ele também visitava tais lugares. Conforme o tempo passou, nossos sonhos foram aguçando nossa curiosidade, chegando ao ponto de eu saber o que se passava com ele (enquanto acordado) e ao contar-lhe o que havia sonhado ele respondia que realmente tinha vivido esta ou aquela situação 1 ou 2 dias antes. Isso era fantástico para nós, a prova de que não havíamos nos encontrado em vão. 
Sempre almoçávamos juntos para trocar informações sobre os sonhos malucos de ambos, na maioria deles muito parecidos e quase, senão, no mesmo dia, iguais. 





Almoçando uma vez, comentamos a possibilidade de, quem sabe um dia, formarmos uma empresa juntos. Brincamos com esta possibilidade durante muito tempo, acreditando que era apenas uma vontade em comum. Nos divertíamos imaginando como seria a empresa, como seria nosso dia a dia enquanto sócios, era um momento super descontraído. Mais ou menos como Pink e Cérebro mesmo...

Por algum motivo, talvez o mesmo que me levou àquela feira, nossas vidas pessoais e profissionais tomaram um rumo parecido, e lá pelos meados de 2008 surgiu uma oportunidade de colocarmos aquela velha ideia em prática: abrirmos a empresa. Na ocasião formamos um quarteto com 2 outras pessoas que também tinham tal proposito e em 2009  iniciamos nossa empresa juntos, um sonho, em meio à varias decisões difíceis que estávamos envoltos naquele momento, sob sérias duvidas se conseguiríamos fazer deste o nosso ‘ganha pão’. Mas a certeza de que daria certo era tao grande, tão profunda, que investimos no sonho e fomos à luta, dia a dia.


A Empresa foi crescendo, dando frutos, até que em 2011 o bonitão decidiu vir definitivamente cuidar de sua parte, deixando o outro emprego e se dedicando 100% à nossa criação (um dos dias mais felizes da minha vida, e uma das decisões mais difíceis da dele). Desde então  passamos a ter uma convivência diária, fato que aumentou ainda mais nosso grau de amizade e conhecimento um do outro. Contribuiu inclusive para chegarmos à conclusão que tínhamos uma missão juntos nessa vida: abrir uma casa de caridade, ajudar ao próximo, colocar a espiritualidade acima dos nossos interesses e em favor dos que precisavam. 


Passamos a dividir problemas, alegrias, tristezas, sucessos, duvidas, anseios, sonhos e realizações, crescemos muito, choramos muito juntos também, partilhamos conhecimentos, buscamos entendimentos, nos ajudamos, nos sustentamos, nos suportamos um ao outro, nos protegemos! Começamos a estudar juntos também, em 2012, e demos início ao segundo sonho juntos: a casa de caridade e a prática da espiritualidade (e por isso também sou muito grata a ele, já que nao teria iniciado os estudos não fosse sua intervenção tão benéfica).

E o que era lindo passou a ser único, algo que eu posso afirmar que nunca vi entre 2 pessoas, um sentimento maior que qualquer outro que exista ou que eu tenha conhecimento. Um Amor Ágape, sublime, cheio de boas intenções, de cuidado, de carinho, de cumplicidade, reciprocidade e lealdade, que ultrapassa a barreira do querer bem, da confiança, do que conhecemos por AMIZADE ou AMOR. 



Nos tornamos uma unidade, um ponto forte de afeto, que cresceu e se transformou em uma parceria sem igual, como se realmente não houvesse nós, mas somente 1 cheio de nós dois.


Hoje faz 10 anos que nos conhecemos... 
Vindo hoje para o trabalho pensei como poderia homenageá-lo, tornar este dia especial e achei que definir este relacionamento por meio de um texto seria legal... O problema é que não há nome para este tipo de relacionamento, de sentimento, ou um texto pronto que pudesse explicar o quão grata eu sou a Deus por me permitir viver algo tão incomum e tão completo ao mesmo tempo, tão simples e tão complexo, tão bonito e tão eterno. 




Queria achar alguma coisa na internet, algum texto bonito, uma música, um verso, que pudesse dizer a ele quão importante ele é em minha vida. 

Como não achei nada, pensei que escrevendo o que nos trouxe até aqui (em resumo claro, pois se eu detalhasse tudo, escreveria uma trilogia e ainda faltaria espaço) seria o mais próximo do que eu chamo de PERFEITO. Pq foi perfeito, é perfeito, é único, e eu garanto que se você buscar no mundo uma história parecida, certamente não vai encontrar. Pode encontrar histórias melhores, mais bem elaboradas, com finais bem diferentes (embora estejamos longe do nosso final), mas igual IMPOSSÍVEL.



Isto porque histórias são feitas de pessoas e pessoas são únicas, inigualáveis  Não ha como repetir uma historia, mesmo que com a mesma pessoa. Histórias mudam conforme seus personagens... Somos assim, fomos feitos assim, e é essa a beleza de acordar todos os dias: novas histórias, novas pessoas, mais um capítulo.

Querido, que daqui 10 anos eu possa continuar este resumo com novos e surpreendentes detalhes, e que nossos próximos 10 anos sejam juntos cheios de grandes noticias e realizações, inúmeras vitórias e cobertos de toda a proteção de Deus, sob a guarda de todos aqueles que nos aproximaram e nos acompanham todos os dias. 


Se eu puder fazer um desejo ao apagar esta velinha hoje, desejo que venham outros tantos aniversários de 10 anos, mais 10 anos, e mais 10 anos, e outros 10 anos, e tantos 10 outros mil anos mais. 
Eu agradeço a Deus todos os dias por ter alguém como você ao meu lado, e agradeço duplamente por ser você este alguém! 

Lembre-se: se você pular, eu pulo! (mmmmm... é, pulo!)  

Na alegria ou na Tristeza, na Riqueza e preferencialmente só nela (mas na pobreza também, fazer o que!), na saúde, ou na doença, e mesmo que a  morte nos separe!






Prometo estar sempre ao teu lado, nem à frente, nem atrás. Sempre ao teu lado... (se você deixar, claro! - Se não deixar, vou estar lá mesmo assim, mas você nem vai saber... e nem adianta dizer que não precisa!).


Isso tudo pq você é muito mais que especial, é único pra mim, é meu grande parceiro desta vida, meu protetor, meu refúgio, meu Porto Seguro, meu confidente, meu cúmplice de todas as horas, meu melhor amigo e é acima de tudo, um ser espetacular, incrível, de luz inigualável e grande poder de atração (todos eles, diga-se de passagem!).



Esse texto eu fiz agorinha de manhã, ,com todo cuidado do mundo, e só pra você, Por você... Por você, Por você! Parabéns Tico! Feliz dia Nosso! Um grande beijo!


terça-feira, 2 de abril de 2013

Lealdade - por Irineu Toledo

Ci>> Ser Leal é mais difícil do que ser fiel a alguém ou a algum propósito... ou até consigo mesmo. Ser leal é estar ao lado sem porquês, e apesar de, sob quaisquer circunstancias, é compartilhar do medo sem fugir à luta, é amar e não sentir inveja da felicidade do ser amado, é assumir para si a responsabilidade de ser feliz por si só, sem depender de alguém para que se complete sua felicidade. Ser leal é ser honesto consigo e com os outros, mesmo que isso resulte em expor o que de mais escondido e mais profundo temos, é colocar na caçamba todo aquele lixo que vamos acumulando ao longo da vida, e deixar o espaço vazio para que se preencha novamente, com novas oportunidades, com novos sentimentos, e eventualmente, com novos lixos... ser leal é não mentir para si próprio nem para os outros, é assumir os próprios erros e não condenar os erros alheios, se colocar no lugar do outro quando discordar de suas atitudes, pois também podemos falhar na mesma medida ou até pior... Ser leal é dizer o que vai no coração, seja qual for a consequência desta 'exposição', pois não há nada que venha realmente do coração que não seja benéfico a você e aos que te rodeiam! Bom dia a todos!

Soltar (Toque BK 1/4 - Primeiro Programa)

Lembre-se sempre do movimento chamado de “rio da vida”: tudo vem e vai. Quando você contraria esse fluxo e segura algo, está fazendo um convite à tristeza, porque o Universo não poderá levar o que é preciso. Nesse momento, você também perde a sua liberdade e a energia deixa de circular. Portanto, não segure nada; diga a você mesmo que o rio precisa fluir.
(Brahma Kumaris)